O ministro da Cultura, Juca Ferreira, visitou nesta segunda-feira (8) a exposição que relembra os 50 anos de carreira de Roberto Carlos, na Oca. O público pode ver os carros, fotografias de família, presentes de fãs e prêmios recebidos em todo o mundo pelo Rei, além de instalações de audiovisual com vídeos, músicas e filmes de Roberto Carlos.

A oportunidade de estar próximo a itens que até então não haviam saído da casa de Roberto Carlos tem preços acessíveis graças ao apoio de R$ 1 milhão (no total, foram investidos R$ 5 milhões) por meio da Lei Rouanet, de incentivo à Cultura. Às terças e quartas-feiras, o ingresso custa apenas R$ 5, assim como nesta segunda-feira, quando a mostra abriu excepcionalmente devido ao Dia Internacional da Mulher.

"É importante que a Lei Rouanet sirva para incentivar a cultura do povo brasileiro, e ótimo que esta exposição esteja tão acessível. Infelizmente, nem todas as ações patrocinadas têm esse comprometimento com os ingressos populares, mas porque a lei, como está, é muito frouxa. Sem critérios. Por isso aguardamos que o Congresso vote as mudanças que propusemos para criar esses critérios", afirmou Juca Ferreira.

O ministro acredita que mesmo 2010 sendo um ano atípico, por conta das eleições, já existe consenso suficiente entre os parlamentares em Brasília para aprovar as mudanças que tornariam a Lei Rouanet mais rígida no que diz respeito à contribuição social dos espetáculos patrocinados.

"E a exposição está muito bonita. Eu gostei. Certamente é um marco da cultura brasileira. Sou fã, mas o Roberto não canta mais a música que eu mais gosto: aquela que ele manda tudo mais para o inferno", observa Juca.

A coordenadora da exposição, Léa Penteado, destaca a democratização do acesso. "É uma exposição importantíssima, que traz um público novo para o ambiente das exposições. O Roberto consegue fazer isso. Liga gente aqui nos perguntando que roupa deve usar, o que pode trazer. São pessoas que nunca pisaram num espaço assim".

A aposentada Rosa Olivieri, de 76 anos, entrou gratuitamente na exposição e se disse emocionada. "A gente não lembra só do Roberto Carlos, mas da própria vida da gente. Ouvíamos essas músicas, eram outros tempos. Se for a primeira exposição da vida de alguém, é para se emocionar demais", disse.

Além dos preços populares às terças e quartas, ainda continua valendo o benefício da meia-entrada: estudantes e professores, por exemplo, pagam R$ 2,50. Pessoas até 12 anos e acima de 60 não pagam ingresso.