Google Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

Lula, o Filho do Brasil chegou aos cinemas do país há dois meses em meio a diversas críticas. E o longa que retrata a vida do presidente Lula, continua com forte repercussão.

A polêmica da vez é que o SINDEMVÍDEO (Sindicato das Videolocadoras do Estado de São Paulo), pediu às redes de locadoras do país que a cinebiografia não seja adquirida. O motivo é que, segundo o site Laboratório Pop, Lula teria pedido uma cópia pirata do filme para o diretor Fábio Barreto. Uma situação parecida já havia acontecido em 2005, quando o presidente disse que havia assistido à 2 Filhos de Francisco em seu jatinho, antes mesmo da produção chegar aos cinemas.

De acordo com o presidente do Sindicato, Luciano Tadeu Daminiani, o incentivo de Lula à pirataria é um absurdo.

- Existe um mercado de locadoras constituído no Brasil. Pagamos impostos, geramos empregos e uma postura dessa não pode partir de uma autoridade. Ele estimula a falsificação.

Ainda de acordo com Luciano Tadeu, os associados estão dispostos a aderir à medida.

- Os donos de locadoras estão empenhados em aderir a isso. O incentivo de deixar Lula, o Filho do Brasil de fora das prateleiras do país, é uma decisão da diretoria e dos próprios associados. O mercado está constrangido com a atitude da maior autoridade do país.

Veja abaixo o comunicado oficial que Sindicato das Videolocadoras divulgou:

"Prezado Associado, Proprietário de Videolocadora, Entidades, Parceiros do Mercado e Imprensa,

No ano de 2005 sofremos um avanço na Pirataria de mais de 1000% em sua comercialização. Neste mesmo ano o nosso Presidente da República Luís Inácio Lula da Silva, em entrevista coletiva comentou que havia assistido em seu luxuoso avião o filme 2 FILHOS DE FRANCISCO, e que havia gostado bastante, lembrando que não havia sido lançado em DVD pela distribuidora, o que causou espanto e descrença, pois, a maior autoridade do país neste momento declarou ter assistido filme pirata.
Na época nosso Presidente em entrevista coletiva pediu desculpas dizendo inclusive que iria punir os responsáveis por tal acontecimento, porém nada aconteceu, nada foi feito e ninguém foi punido e até acreditamos que o Presidente não foi mais informado sobre o acontecido.

Será que a moral desta é que não há punição para os consumidores de DVD ILEGAL, então concluímos que pirataria é legal?

Foi a partir deste momento e até nos dias atuais que o movimento das Videolocadoras do Brasil chegou a cair até 60%, sendo que mais de 30% do mercado fechou e houve um grande número de desemprego no nosso setor, enquanto a comercialização de DVDs ilegais (piratas) subiu mais de 3000%.

Em 2009 foi produzido o filme LULA, O FILHO DO BRASIL, que conta a Biografia até seu auge como SINDICALISTA, este filme foi exibido em dezembro somente para as autoridades, convidados e imprensa, com lançamento nos cinemas previsto para janeiro. No final de uma desta exibições o Presidente em entrevista a imprensa, não ressaltou a importância da legalidade em assistir ou adquirir o filme deixando em aberto a possibilidade da pirataria de sua biografia cinematográfica.

Como podemos acreditar na seriedade para uma moralização no nosso mercado se mesmo o nosso Presidente não se preocupou com que seu filme fosse pirateado. Há uma conduta ética regulamentada para o funcionamento de uma videolocadora, porém, este filme já foi pirateado e esta sendo vendido em todos os ambulantes do Brasil. Nosso Presidente pode nos ajudar mostrando a população que não deve cometer tal crime pois, “É crime como prevê nossa Constituição.

Lembramos que o mercado de vídeo é gerador de empregos, pagador de impostos e é responsável pela maior parte dos recursos gerado para o cinema nacional, pois, caso vocês não saibam existe imposto específico pago para ANCINE – AGENCIA NACIONAL DO CINEMA, órgão governamental captador de recursos, responsável pelo recolhimento de impostos cobrados com a venda dos DVD\'s para todo o mercado nacional, este sim Original.

Vivemos em um país democratizado onde o direito é igual para todos, então pergunto:
- Mesmo existindo LEI as pessoas que comercializam produtos ilegais (pirata), não são punidos de forma nenhuma?
Então acredito que tal comercialização deveria ser permitida para todos, pois, enquanto o comércio ilegal não arrecada impostos tão pouco emprega, o comercio legalmente estabelecido aumentaria seu faturamento e conseqüentemente recolhendo seus impostos e empregando funcionários.

Queremos ressaltar que as palavras acima não representam o pensamento da entidade, pois ela preza pela moral, ética e profissionalismo do nosso mercado. Porém, vale lembrar que tal moralidade não esta sendo cumprida pelas autoridades. Lembramos que em todo o território nacional existem Sindicatos e Associações específicas de nossa categoria, com raríssima exceção não há o respeito devido, reconhecimento, comprometimento das autoridades brasileiras, tão pouco das empresas ligadas ao mercado.

Este tipo de postura vem agregado graves consequências entre elas podemos citar a diminuição acentuada no recolhimento de impostos, encerramento de empresas videolocadoras e por consequência demissão de funcionários. Queremos o apoio do nosso Presidente para combater este problema se tornando um garoto propaganda contra a falsificação de DVD’s.

Para os donos de VIDEOLOCADORA se você quer que seu comércio continue e volte a crescer temos que começar a tomar ATITUDES, pois, somos uma grande categoria em nosso país e nossa união nos dará força para poder exigir nossos direitos.

A sugestão é como primeira providência, não um boicote às distribuidoras, não um boicote de filmes, mas sim a não aquisição do filme LULA FILHO DO BRASIL, para que possamos provar a nossa força, e nossa indignação à pirataria desenfreada em todo o território nacional, onde nossas autoridades classificam este crime, “como não prioridade”.

Donos de videolocadoras de São Paulo e todo Brasil, pedimos a todos a união para combatermos todas as falcatruas que fazem conosco, pois hoje para eles somos considerados “Animais irracionais e domesticáveis”. Temos que reagir e mostrar nossa inteligência, força e a necessidade de nossa existência para que eles também existam.

Talvez seja a nossa última chance de conseguirmos unir a categoria e mostrar sua importância e grandeza, exigindo de todos o respeito devido.

Chegou a hora!


SINDEMVIDEO"

A assessoria do presidente foi procurada pelo R7 e disse não saber do possível boicote ao filme.