O senador Fernando Collor (PTB-AL) disse, na abertura da audiência pública que trata da adesão da Venezuela ao Mercosul, ser necessário discutir a oportunidade do ingresso neste momento, quando o país é presidido por Hugo Chaves.

Collor afirmou que as palavras ofensivas ditas pelo presidente venezuelano em referência ao Senado brasileiro e ao presidente da Casa não se coadunam com o nível de educação que devem pautar as relações diplomáticas.

O senador por Alagoas também manifestou preocupação com a situação de "instabilidade política" que se observa no entorno do Brasil, atribuindo a Chaves parte da responsabilidade por esse processo. O presidente da Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CRE), senador Eduardo Azeredo (PSDB-MG), observou também que ainda não há explicações de Chaves às palavras ofensivas dirigidas ao Senado brasileiro.

Os senadores se referiam ao episódio de fechamento da Radio Caracas Televisión, em 2007, quando o Senado brasileiro se manifestou contra essa decisão e foi criticado por Chaves.

Collor assinou, há 18 anos, como presidente do Brasil, o Tratado de Assunção que deu origem ao Mercosul.

Participam da audiência realizada pela CRE os embaixadores Rubens Barbosa, Sérgio Amaral e Paulo Tarso Flexa de Lima, além do representante da Confederação Nacional da Indústria, José Augusto Fernandes.