Nos últimos anos não houve projeto de governo para Alagoas, mas plano de assalto ao erário - que enriqueceu muita gente e empobreceu o Estado. Não há, na história da federação, Estado que tenha sido governado tão irresponsavelmente quanto Alagoas.

As conseqüências políticas disso é: Alagoas é o único Estado com cinco ex-governadores sem mandato. Todos ricos, mas nenhum tem mais condições de disputar eleição majoritária e alguns sequer se elegerão nas proporcionais.

Claro, eles não ligam para isso. Mais importante é ser dono de apartamentos na Vieira Souto, no Rio de Janeiro,  de condomínios fechados, de casas em Portugal, Espanha e França, entre outros bens que a vaca leiteira chamada Alagoas possibilita.

Mas, quem deveria estar discutindo o Estado nada fala; a Assembléia Legislativa está tão enrascada nas finanças quanto o Executivo - isto, sem falar que não vem cumprindo com o seu papel de fiscalizar. Pelo contrário: ela mesma carece de ser rigorosamente fiscalizada pelo Ministério Público e a Polícia Federal.

E como a Assembléia Legislativa não tem serventia nenhum, foi necessário a vereadora Heloísa Helena assumir a função que compete ao deputado e deitar falação sobre a crise financeira que o Estado atravessa - enquanto os responsáveis pelo rombo riem da população.

Sem indústrias porque os governantes trabalharam contra o Estado; sem saída porque, sem indústria, não há renda, resta agora pedir dinheiro emprestado e elevar mais uma vez a dívida pública - que durante o governo Lessa duplicou.

E assim, a vaca leiteira, de tão explorada, não dá mais leite puro como antes.