O deputado federal Ciro Gomes (PSB-CE), ex-ministro da Integração Nacional, disse nesta terça-feira, em Porto Alegre (RS), que a aliança feita pelo governo Lula com uma fração do PMDB afasta uma aliança para as eleições de 2010. Ele afirmou ainda que "o PSB, como todo e qualquer partido que tem história no Brasil e que tem idéias para o Brasil, gostaria de apresentar a sua própria proposta para o País."

Segundo Ciro, o PSB sempre foi aliado natural do PT. Segundo ele, o PSB vem acompanhando as coalizões desde 1989, o que não quer dizer que o partido precisa afirmar essa "hegemonia no vazio".

"Só porque agora somos solidários na sustentação do governo Lula não quer dizer que nós tenhamos que apoiar o PT, porque o PT fez uma opção muito clara de uma aliança que é extremamente contraditória com uma certa fração do PMDB. E essa aliança tem uma cara de centro-direita, e nós nos incomodamos muito com isso. Então, nós apoiamos o presidente Lula pelos mérito que ele tem, pelo extraordinário bem que está fazendo ao Brasil, mas olhando o futuro do Brasil, não temos concordância completa com o PT", afirmou o parlamentar.

Questionado se será presidenciável em 2010, Ciro disse: "tem dia que amanheço achando que sou (candidato), tem dia achando que não sou".