O senador Renan Calheiros, líder do PMDB no Senado, manifestou profundo pesar pelas mortes dos deputados federais Carlos Wilson (PT-PE) e João Herrmann Neto (PDT-SP), “deixando o cenário nacional órfão de duas grandes personalidades políticas”. Carlos Wilson, 59 anos, faleceu no sábado, vitimado pelo câncer. Exerceu quatro mandatos como deputado federal e representou Pernambuco no Senado entre 1995 e 2003. João Herrmann morreu na madrugada de domingo aos 63 anos. A causa provável seria uma crise de hipertensão. Estava em seu quinto mandato como deputado.

Renan lembrou que Carlos Wilson, além de ser um colega de Senado combativo, querido e conciliador, foi um gestor eficiente e competente da Infraero e teve um papel decisivo na reforma e ampliação do Aeroporto Internacional Zumbi dos Palmares, em Maceió, mantendo o calendário de obra em dia e dando prioridade ao projeto que hoje tem papel estratégico na economia alagoana.

Gesto de referência

O senador alagoano lembrou ainda que o deputado Carlos Wilson era uma pessoa tão querida que marcou a inauguração do aeroporto, feita pelo presidente Lula, para 16 de setembro de 2005, dia de seu aniversário, num gesto de deferência que somente ele era capaz. Renan destacou ainda que Carlos Wilson era um parlamentar leal, solidário, ponderado e com trânsito entre todos os partidos e todas as correntes. E completou: “Já estamos sentido muito – muito mesmo – sua falta, dileto companheiro”.

Tradições democráticas

Com relação ao deputado João Herrmann, Renan lembrou sem um político de antigas tradições democráticas, além de ter sido um dos parlamentares que mais se destacaram na constituinte. “Era um político experiente que integrava esforços para que a bancada do PDT continuasse ocupando com maior protagonismo o espaço político da esquerda na Câmara dos Deputados”, disse o senador. Lembrou ainda que por diversas vezes esteve junto com Hermann em conversas em que o parlamentar sempre se mostrava preocupado com os grandes problemas nacionais, mas recentemente com a crise mundial. “Ele estava sempre disposto a contribuir para o enriquecimento do debate parlamentar”, concluiu o senador.