A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado adiou para 28 de abril a audiência com o ministro da Justiça, Tarso Genro, e o diretor-geral da Polícia Federal, Luiz Fernando Corrêa. A audiência estava prevista para hoje (14), mas foi adiada por "problemas de agenda” dos convidados.

 

Tarso e Corrêa irão à comissão para dar explicações sobre a Operação Castelo de Areia, que investigou a construtora Camargo Corrêa. A ação provocou polêmica porque a Polícia Federal citou em seu relatório doações eleitorais, supostamente ilegais, feitas a partidos políticos.

 

A oposição acusou a PF de atuação política porque o PSDB, o DEM e o PPS foram citados no relatório, enquanto o PT, que também recebeu recursos da construtora, foi excluído. A PF diz que os partidos não estão sendo investigados.