Na última semana a Assembleia Legislativa aprovou em primeiro turno a criação do Conselho de ética e Decorro Parlamentar, que será a 12º Comissão Permanente da Casa de Tavares Bastos. A votação foi aprovada por unanimidade por 14 votos presentes de um total de 26 deputados que compõe a casa.

Para realmente ser criado, o Conselho de ética terá que passar por uma segunda votação e discussão no plenário ALE. De acordo com o deputado estadual Judson Cabral (PT), a Comissão será formada por cinco titulares e cinco suplentes. “Ainda teremos uma segunda votação que possivelmente deverá acontecer na próxima terça-feira. Quanto aos nomes que irão compor esta Comissão, nós já estamos trabalhando para oficializar quem vai fazer parte realmente”, disse o parlamentar.

Cabral ainda disse que para fazer da Comissão terá os parlamentares não poderá ter envolvimento nenhuma ação parlamentar e muito menos criminal.

Há informações que do lado da oposição os deputados Rui Palmeira (PV) e o próprio Judson Cabral (PT), são nomes fortes para assumir uma cadeira da Comissão. Outro nome que aparecia como um possível nome da oposição era o deputado Paulo Fernandes dos Santos (PT) “Paulão”.

No entanto, o nome de Paulão (PT) está descartado devido o parlamentar ter sido indiciado na Operação Taturana, que investiga o desvio de R$ 300 milhões dos cofres públicos.

Para Judson Cabral (PT), o nome da oposição sairá de consenso. “Temos alguns nomes, tanto o Rui Palmeira, quanto o meu nome. A partir do momento que a Comissão terá uma publicidade, ou seja, tornar pública de forma oficial, nós divulgamos os nomes dos componentes. Na verdade queremos um consenso para formar esta Comissão”, completou.