Agência Alagoas Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

Ninguém sabe como a renda apareceu em São Sebastião, município da microrregião do Agreste de Alagoas. Sabe-se, porém, que a produção de renda de bilros no local é secular. As mulheres da cidade já nascem sabendo rendar. Pelo menos, foi assim com Clarisse Severiano dos Santos, a famosa dona Clarisse.

Para contar esta história, a Secretaria de Estado da Cultura (Secult) e a Galeria Karandash lançam o documentário Clarisse: Um patrimônio vivo de Alagoas. A primeira exibição do filme será realizada nesta quinta-feira (7), às 16h30, no Memorial à República, em Jaraguá.

Dona Clarisse é mestra rendeira reconhecida como Patrimônio Vivo de Alagoas em 2008. Ainda ligeira no tilintar da madeira, a senhora de 75 anos aprendeu a arte do bilro ainda menina. De lá para cá, transmite seus ensinamentos para as novas gerações.

“No vídeo mostramos dona Clarisse em atividade, no dedilhar da renda de bilro. Mas também mostramos a filha e a neta repetindo as mesmas lições, pois é esse o sentido dos mestres: repassar os ensinamentos para os mais novos”, explicou Dalton Costa, artista responsável pelas imagens do vídeo.

Na cidade de São Sebastião, as mais velhas têm cumprido bem o seu papel. Em calçadas, ou sentadas no chão da sala, as mulheres estão sempre curvadas, conversando e mexendo em hastes de madeira. Do entrelaçado de linhas saem paninhos, blusas, chales e passadeiras. Produtos que consagraram ao local o título de capital dos bilros.

Na quinta-feira, junto com a exibição do vídeo, também será lançada a exposição Os Criativos Populares da Arte em Alagoas. Além de filme e mostra de arte, ainda haverá momentos de boa música com a apresentação do Chau do Pife.

O vídeo documentário será vendido, entre os dias 7 de janeiro e 15 de fevereiro, no Memorial à República no valor de R$ 15. Em janeiro o local fica aberto de segunda à sexta-feira, das 13h às 17h. Sábados, domingos e feriados, das 14h às 17h. Mais informações: (82) 9982-5610.