As operações da Polícia Federal estão entre os focos da agenda política da próxima semana. O ministro da Justiça, Tarso Genro, e o diretor-geral da PF, Luiz Fernando Corrêa, devem participar da reunião da Comissão de Constituição e Justiça do Senado na terça-feira (14), às 10h. Eles foram convidados para prestar esclarecimentos sobre a Operação Castelo de Areia, que investigou a construtora Camargo Corrêa e supostas doações ilegais a políticos.

A Operação Satiagraha, realizada em julho de 2008 pela PF, também será tema do depoimento do ex-diretor da Abin, Paulo Lacerda. Na quinta-feira (15), ele vai esclarecer informações sobre a operação na CPI dos Grampos, no Senado.
 
Três poderes

Na segunda-feira (13), o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o presidente do Senado, José Sarney, o presidente da Câmara, Michel Temer, e o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, se reúnem para assinar o segundo Pacto Republicano de Estado, no Palácio do Buriti.

Outro destaque na agenda do Senado é a reunião da comissão temporária interna criada para criar propostas para a reforma do Regimento Interno da Casa. O encontro está marcado para a manhã da terça-feira (14) e é resultado da crise causada por gastos indevidos de senadores.

Crise financeira

Além das operações da PF, do encontro dos presidentes de três poderes e da crise do Senado, a crise financeira entrou na agenda do Congresso. O presidente do Conselho de Administração do Grupo Gerdau, Jorge Gerdau Johannpeter, participa de audiência pública conjunta das Comissões de Assuntos Econômicos (CAE) na terça-feira.

Na quarta-feira, a Comissão Especial sobre a Crise recebe o presidente da Federação Brasileira de Bancos (Febraban), Fábio Colletti, o superintendente da Câmara de Dirigentes Lojistas (SPC), Antônio Xará, e o presidente da Confederação Nacional dos Dirigentes Lojistas (CDNL), Roque Pellizzaro.

Na Câmara, o ministro Miguel Jorge (Desenvolvimento) também discute propostas contra a crise financeira, na quarta-feira (15), em audiência pública da Comissão de Desenvolvimento Econômico, Indústria e Comércio.