A CIDH (Comissão Interamericana de Direitos Humanos) informou que prestou uma queixa contra o Brasil pelo caso do desaparecimento de 70 pessoas durante a campanha militar contra a guerrilha de Araguaia na década de 70.

 

A CIDH ressaltou em comunicado que a demanda foi apresentada em 26 de março, e se refere ao desaparecimento de membros do PC do B e de camponeses entre 1972 e 1975, durante a ditadura militar (1964-1985).

 

Em outubro de 2008, a CIDH pediu ao governo brasileiro que tomasse providências para identificar os responsáveis por estes desaparecimentos e para impedir que a Lei de Anistia prejudique o andamento dos processos na justiça.

 

A Comissão também recomendou a Brasília que conceda indenizações às famílias das vítimas, que admita o papel do Estado nos desaparecimentos e que dê aulas de direitos humanos aos militares.

 

A CIDH é um organismo autônomo da OEA (Organização dos Estados Americanos), que recorre à Corte Interamericana quando considera que um país do continente não cumpre com suas recomendações.