O consumidor paulistano está menos otimista ante os desdobramentos da crise financeira internacional na economia do País, de acordo com o Índice de Confiança do Consumidor (ICC) da Federação do Comércio do Estado de São Paulo (Fecomercio-SP), divulgado nesta quarta (8).

Pela pesquisa, a confiança caiu 2,6% em abril ante o mês anterior, recuando para 124,9 pontos - em março o índice era de 128,2 pontos. Na comparação a abril do ano passado, a confiança caiu 16,2%.

De acordo com o economista da Fecomercio-SP Fábio Pina, a tendência de baixa da confiança do consumidor observada nos últimos meses está relacionada ao momento de instabilidade econômica. O ICC varia numa escala de zero a 200 pontos, indicando pessimismo abaixo de 100 pontos e otimismo acima desse nível.

 
Faixas de renda

Na divisão por renda, os consumidores com ganhos superiores a 10 salários mínimos (R$ 4.650) se mostraram mais otimistas - alta de 10,3% ante o mês anterior. Já na análise por faixa etária, o nível de confiança dos consumidores com 35 anos ou mais teve queda de 18,6%.

O ICC da Fecomercio-SP é formado pelo Índice das Expectativas do Consumidor (IEC), que aponta a percepção do consumidor quanto ao futuro da economia, e pelo Índice das Condições Econômicas Atuais (ICEA), que determina a percepção da situação econômica na atualidade. O IEC teve queda em abril de 13,4 pontos no comparativo com o mesmo mês de 2008 - o índice variou de 143,1 para 129,7 pontos. A variação ante o mês de março foi de 4,9%.

Já o ICEA subiu 1,5% em relação ao mês de março, registrando 117,5 pontos. Em relação à igual período do ano passado, o índice registrou queda de 25,4%. Segundo Pina, como o indicador é tipicamente de curto prazo, o que mais vale é a análise mês a mês, ou seja, a comparação entre março e abril.