A inflação calculada pelo Índice de Preços ao Consumidor – Semanal (IPC-S) registrou na primeira semana de abril alta de 0,71%. Foi a quinta semana consecutiva de aceleração do indicador, que atingiu a maior taxa desde o 0,81% da primeira semana de fevereiro. Na última semana de março, o IPC-S ficou em 0,61%. 

 

Conheça as diferenças entre os principais índices de inflação

 

 

Foto: Editoria de Arte/G1

 

Os preços dos alimentos foram os principais responsáveis pelo aumento do índice de inflação. Segundo a Fundação Getulio Vargas (FGV), o grupo teve alta de 1,65%, a maior desde a primeira semana de julho de 2008, quando ficou em 1,93%.

Também contribuíram para a alta do IPC-S as taxas dos grupos despesas diversas (de 0,60% para 0,76%), vestuário (de 0,26% para 0,33%) e saúde e cuidados pessoais (de 0,64% para 0,69%).

Na ponta contrária, ajudaram a conter a aceleração da inflação os grupos transportes, cuja taxa recuou de 0,13% para 0,06%; habitação (de 0,38% para 0,37%) e educação (de 0,13% para 0,06%). 

Itens

Individualmente, a maior contribuição para a alta do IPC-S veio do mamão papaya, que ficou 20,74% mais caro no período. O preço da manga também pesou, com alta de 26,47%, seguido pelo aumento da batata inglesa, de 9,69%.

Já a alcatra exerceu a maior influência de queda sobre o indicador, recuando 5,31% no período. O feijão preto ficou 12,04% mais barato, enquanto o preço da tarifa de eletricidade residencial caiu 0,49%.