Com o objetivo de orientar os motoristas das empresas de transporte coletivo de Maceió, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) realiza nesta sexta-feira (11), das 8h às 12h, uma oficina sobre transporte público e direitos do idoso na Secretaria Municipal de Saúde (SMS).

De acordo com dados do Hospital Geral do Estado (HGE), de janeiro a novembro deste ano foram atendidas 276 pessoas com idade igual ou superior a 60 anos naquela unidade. Número que, segundo a coordenadora do Núcleo de Atenção à Saúde do Idoso, Elisabeth Toledo, representa um percentual grande, pois as estatísticas comprovam que em razão de acidentes de trânsito, pelo menos 25 idosos são internados mensalmente no HGE.

Segundo a coordenadora, é necessário reduzir o número de acidentes de trânsito em idosos e para isso se faz necessário elaborar e acompanhar a execução de projetos voltados à atenção contínua à saúde do idoso e a promoção de parcerias intra e interinstitucionais visando a implementação da política de atenção à saúde do idoso.

“Essa política preconiza que o principal problema que pode afetar o idoso é a perda da capacidade funcional, isto é, a perda das habilidades físicas e mentais necessárias para a realização de atividades básicas da vida diária. Precisamos sanar essa problemática, visando reduzir em 50% o número de idosos que são internados no HGE, vítimas de acidentes de trânsito. Esta ação é de saúde preventiva, que é mais barata do que a curativa”, ressaltou Elisabeth Toledo.

A oficina conta com a participação de gestores das Secretarias de Estado da Saúde, Paz, Assistência Social, Defesa Social, Educação e Esporte, Ministério Público de Alagoas (MP/AL), Defensoria Pública de Alagoas, Delegacia Regional do Trabalho (DRT), Pastoral da Pessoa Idosa, Associação dos Usuários do Transporte Público de Alagoas, Associação Nacional de Gerontologia, Comitê Estadual de Trânsito e do Conselho Estadual do Idoso.

Na oportunidade serão discutidas alternativas que podem ser implementadas visando o cumprimento da Portaria Nº 2.528, de outubro de 2006, que tem como finalidade a preservação da capacidade funcional e a independência da pessoa idosa.