Wadson Correia Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

Na manhã desta quarta-feira (09), órgãos federais apresentaram um balanço de ações contra a corrupção em Alagoas. A coletiva aconteceu na sede do Tribunal de Contas da União (TCU), no bairro Trapiche da Barra, em Maceió e foi promovida pela Controladoria Geral da União (CGU) e pelo Ministério Público Federal (MPF) e contou com a participação de representantes da Polícia Federal (PF) e Advocacia Geral da União (AGU).

No Dia Internacional contra a Corrupção foram apresentados dados de corrupção. Entre as operações estavam a maior já realizada em Alagoas, a Operação Taturana, que teve 112 pessoas indiciadas que foi desviado mais de R$ 302 milhões.

O Superintendente da Polícia Federal Amaro Ferreira, não se alongou ao falar da operação Taturana. “Sem sombra de duvidas foi uma das maiores operações realizada em Alagoas. Estou a frente da PF há cerca de três meses e não acompanhei de perto a ação, mas não é por isso que vamos deixar o pique cair e de continuar com as operações desse nível”, afirmou Ferreira, que toda operação é realizada com parcerias.

Só a Controladoria Geral da União (CGU) fiscalizou 32 municípios onde os gestores praticavam desvio de verbas como o FUNDEB – Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação, PETI-Programa de Erradicação Infantil, e até do Programa Saúde da Família que teve um montante fiscalizado de R$ 13.84.078,60.

O Ministério Público Federal (MPF) ressarciu dos cofres públicos em 2009, um valor de aproximadamente R$ 41.395.880,90. Trezentos e quarenta e três foi o número de pessoas denunciadas do início de janeiro até novembro desse ano, contra administração pública, crimes de responsabilidade de prefeitos e vereadores, estelionato e sonegação de tributos.

O Tribunal de Contas da União (TCU), também apresentou o balanço entre dezembro de 2008, até esse mês. Foram submetidos 130 processos a julgamento. 114 processos em tramitação, envolvendo 41 municípios, o Estado de Alagoas, ONGs e entes federais. Os valores que estão sendo apurados chega R$ 195,8 milhões.