Na próxima quarta-feira, 9 de dezembro, órgãos públicos federais de fiscalização e controle apresentarão à imprensa um balanço das atividades de combate à corrupção desenvolvidas no último ano em Alagoas. Promovida pela Controladoria Geral da União (CGU) e pelo Ministério Público Federal (MPF) em Alagoas, a entrevista coletiva também terá a participação de representantes locais da Polícia Federal (PF), Tribunal de Contas da União (TCU) e Advocacia Geral da União (AGU). A entrevista está marcada para as 9 horas, no auditório do TCU (Av. Assis Chateaubriand, nº 4.118 - Trapiche da Barra).

A ONU escolheu o dia 9 de dezembro como o Dia Internacional contra a Corrupção. A escolha é uma referência à assinatura da Convenção das Nações Unidas contra Corrupção, ocorrida na cidade mexicana de Mérida, em 9 dezembro de 2003. Mais de 110 países, entre eles o Brasil, assinaram a Convenção, que entrou em vigor em 14 de dezembro de 2005.

A Convenção de Mérida é um documento que fornece a estrutura legal para criminalizar práticas de corrupção, ampliar a cooperação internacional no enfrentamento de paraísos fiscais e facilitar a recuperação de ativos desviados para o exterior. Segundo o texto, um combate eficaz à corrupção exige ação dos governos, da sociedade civil e do setor privado. Aos primeiros, cabe realizar ações eficientes contra a corrupção, bem como implementar a Convenção. Aos demais, cabe dar apoio às ações governamentais e exigir que a administração pública seja mais transparente e aberta a mecanismos de fiscalização e controle.

Como MPF, CGU, PF, TCU e AGU atuam, cada um dentro de suas atribuições constitucionais específicas, no combate à corrupção, o objetivo da entrevista coletiva é mostrar de que forma esse trabalho vem sendo realizado e alguns de seus resultados. É uma oportunidade de falar diretamente à população, para que esta também atue, de forma a concretizar o chamado controle social das instituições públicas, governos e políticos eleitos por meio do voto direto.

Os cinco órgãos mantêm canais para recebimento de denúncias de crimes que envolvam órgãos federais, servidores públicos federais ou verba pública repassada pela União ao Estado ou municípios.