Abrigo e uma noite de sono tranquila. É o que procuram os que se dirigem todas as noites ao primeiro albergue de Maceió - Albergue Municipal Professor Manoel Coelho Neto -, localizado no Poço. Além de um lugar para dormir, os albergados encontram lá um local onde se sentem seguros e acolhidos.

A casa abre as portas às 17 horas, horário em que começa o registro dos albergados. A partir das 18h30, é servido um jantar, ficando a cozinha aberta até 21 horas, para atender aos retardatários.

Após o jantar, é realizado um trabalho com uma psicóloga, que desenvolve atividades com argila e pintura, com o objetivo de despertar os sentimentos e emoções de cada um. Agora na época do Natal, os próprios albergados ajudam na decoração do local, expondo suas emoções e criatividade.

O Albergue Municipal Professor Manoel Coelho Neto possui uma equipe multidisciplinar formada por monitores, que orientam os albergados, além dos psicólogos e assistentes sociais.

Eles fazem o encaminhamento para identificar o real problema das pessoas que buscam os serviços do local, como aquelas que precisam retornar à cidade de origem ou, até mesmo, não têm um local para morar.

Para Maria das Dores, 86 anos, que tem passado algumas noites no albergue com seu filho, o atendimento no local é muito bom. “Aqui no albergue, eu me sinto muito bem, cada um tem sua própria cama, lençol, travesseiro e um banheiro limpinho. A comida também é muito boa. Gostei tanto daqui, que queria até morar num local como este”, disse ela.

Quando acordam, a partir das 6h30, os abrigados tomam um café da manhã e, às 8 horas, é hora de fechar as portas e começar a arrumar a casa para, a partir das 17 horas, voltar a receber os albergados.

Para melhorar o atendimento, a Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas) forneceu 200 lençóis, 200 toalhas, 50 cobertores, 20 toalhas de mesa, 30 colchões impermeabilizados e 30 travesseiros.

Para a coordenadora do Albergue, Maria Geovânia, as novas aquisições vão deixar o local mais aconchegante e confortável e darão um tratamento mais digno para os albergados”, disse.