O Ministério Público do Trabalho em Alagoas está mediando acordo entre a Sena Terceirização e Serviços e a Caixa Econômica Federal para garantir o pagamento das verbas rescisórias de 103 trabalhadores, demitidos em decorrência da extinção do contrato entre prestadora de serviços e o banco. Durante audiência realizada na última quinta-feira (26), a empresa propôs pagar o saldo devedor aos empregados em duas parcelas.

 

O total das rescisões e o saldo de salários somam cerca de 236 mil reais, dos quais 80 mil reais estão retidos na Caixa, até que a empresa apresente os dados necessários para que o banco efetue o repasse diretamente para os trabalhadores, como adiamento do que eles têm a receber. O MPT deu prazo, até 3 de dezembro, dia da próxima audiência que acontecerá na sede do MPT, às 15h30, para a empresa repassar essas informações.

 

O procurador do Trabalho Cássio Araújo, que conduziu a mediação, disse que a empresa terá de apresentar, nesta segunda-feira (30), os recibos de pagamento das verbas rescisórias e dos valores referentes à multa de 40% sobre o FGTS dos trabalhadores. Ele também sugeriu que as entidades sindicais que representam os trabalhadores demitidos discutam a proposta da empresa em suas bases para decidir se aceitam ou não o parcelamento do pagamento das verbas rescisórias.