Senso de humor, simpatia e cordialidade. Essas são algumas características marcantes encontradas na personalidade do analista judiciário Magno Vitório. Lotado na 4ª Vara Criminal da Capital, o servidor se envolveu diretamente com o planejamento e a execução dos mutirões e atividades do Programa Integrar em Alagoas.

“Acabei vindo trabalhar junto com o pessoal do Integrar meio que sem querer... Vim acompanhar os processos que foram remetidos da 4ª Vara Criminal que seriam analisados em um Mutirão e acabei ficando. Foram meses de trabalho exaustivo, horas de correria e agitação, mas tudo foi muito gratificante”, comemora o servidor.

Natural de Maceió, Magno Vitório tem cinco irmãos e vem de uma família muito unida. Se declara um apaixonado por televisão, leitura e pelos estudos de uma maneira geral. Antes de ser aprovado no concurso para o cargo de analista judiciário, Magno atuava como assessor de juiz.

Empolgado, o servidor declara que “o Judiciário alagoano não será mais o mesmo depois da atuação do Programa Integrar no Estado. As mudanças são nítidas e podem ser consideradas um divisor de águas, um novo tempo para a Justiça e para a sociedade alagoana”.

Uma das dificuldades enfrentadas pelo Integrar, segundo o servidor, foi encontrar locais adequados para a realização de mutirões e para audiências simultâneas, que sempre reúnem centenas de pessoas. Magno lembra ainda que as mudanças acontecem gradativamente, mas o Programa do Conselho Nacional de Justiça foi o pontapé inicial para instaurar uma nova mentalidade nos integrantes do Judiciário local.

“É muito importante valorizar os servidores”

“Uma das principais preocupações dos que fazem o Programa Integrar é escutar os servidores, atuar lado a lado e como parceiros na busca de solução para os problemas. Ter quem nos escute e nos motive e auxilie a solucionar nossos problemas é muito importante para nós”, destacou Magno.