Gilca Cinara - Arquivo Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

A decretação de ilegalidade da greve dos Policiais civis, realizada de 18 e 20 de novembro, foi recebida com supresa pela categoria, uma vez que a paralisação já ocorreu. A decisão foi da desembargadora Elisabeth Carvalho do Nascimento, presidente do Tribunal de Justiã. Ela suspendeu o direito da categoria realizar qualquer movimento de greve por tempo determinado ou indeterminado. Além disso, determinou, em caso de descumprimento da decisão, a aplicação de multa ao Sindpol no valor de R$ 10 mil por dia, enquanto durar a eventual greve.

O vice-presidente do Sindicato dos Policiais Civis (Sindpol), Josimar Melo disse que na segunda-feira o advogado da categoria entrará com um agravo de instrumento contra a decisão do TJ.

"Nosso advogado vai questionar e, na próxima quarta-feira em frente ao Palácio, vamos discutir o assunto. Elogio a agilidade do TJ em julgar ilegais as greves de servidores públicos", afirmou Melo.