Agência Alagoas Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

Livros, fantoches e música. O projeto Fome de Leitura chega a centenas de jovens de Alagoas. Como mais uma atração da Caravana Cultural, as atividades de incentivo às letras alcançam as cidades de Teotônio Vilela, Campo Alegre e Boca da Mata até esta sexta-feira (27).

Há 101 km da capital, Teotônio Vilela desponta no acesso aos livros. Na última quarta-feira, o Fome de Leitura marcou presença na inauguração da Biblioteca Pública Municipal Dr. Adauto Fernandes Vieira Filho, no Centro. O espaço é referência para todo o Estado.

Além dos livros, a biblioteca conta com sala de cinema, telecentro, auditório e no andar superior funciona uma escola de música. “Esse é o conceito da biblioteca viva. É um espaço multicultural que reforça a identidade do lugar”, explicou Wilma Nóbrega, coordenadora do Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas.

O centro de leitura tem um acervo de mais de 5 mil livros. Metade destes foi doada pelo Ministério da Cultura (MinC). A Secretaria de Estado da Cultura (Secult) funciona como mediadora dessa parceria.
Nas estantes, obras de alagoanos e uma seção em braile. Foi criado um cantinho da criança, com mobiliário de girafa, teatrinho e pufes coloridos. O espaço foi aprovado. “É bonito. Eu queria morar aqui”, soltou o pequeno Pedro Marques, 9 anos.

Mas se engana quem pensa que os jovens são apenas leitores. O município conta com uma equipe de contadores de história mirim. Os agentes de cultura também encenam peças sobre o respeito às diferenças. Com chapéus coloridos e fantasias, eles cativam o público.

Nesta sexta, será a vez de Campo Alegre, a partir das 9h, conhecer a turma do Fome de Leitura. O cardápio será de muitas histórias. São aventuras com os personagens de Marina Colassanti, Ziraldo e Ruth Quintela.

Lembrando que a Caravana Cultural é uma realização do governo de Alagoas, por meio da Secult, com o apoio do Ministério da Cultura, viabilizado pela emenda parlamentar do senador João Tenório, e das prefeituras.