Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

Um novo tipo de golpe está sendo aplicado em Maceió. É uma variação do famoso "Boa noite Cinderela". Os golpistas usam alimentos ou bebidas para drogar e roubar as vítimas nas portas das agências bancárias. 

O aposentado Genivaldo de Emeri aceitou uma laranja que ofereceram quando ele saiu do banco. Acabou perdendo os documentos, R$ 700 em dinheiro e a consciência. Foram dois dias internados.

A aposentada Maria Alice Santos também aceitou fruta de um estranho. Ficou sem R$ 2 mil, o relógio e foi parar no hospital. “Pensavam que tinha sido um AVC, mas fui envenenada”, conta.

A substância que os dois idosos ingeriram é um mistura de medicamentos controlados. “É o famoso ‘Boa noite Cinderela’, formado por um coquetel de tranquilizantes com anestésico poderoso e causa sonolência, perda de memória, delírios e alucinações”, diz a farmacêutica Paula Lacerda.

Até um policial militar caiu na conversa dos bandidos no dia em que foi sacar o pagamento no banco.

Desde outubro, só na delegacia responsável pela área central de Maceió, foram registrados dez casos semelhantes. Mas a polícia acredita que houve mais vítimas. O que dificulta as investigações é que muitas pessoas preferem assumir o prejuízo a expor que foram enganadas.

O delegado Alcides Andrade, que investiga os golpes, faz um alerta: é melhor não aceitar a oferta de frutas, sucos e biscoitos.