O Arranjo Produtivo Local (APL) da Mandioca no Agreste realiza nesta quarta-feira (25), em Junqueiro, a segunda edição do Dia de Campo. Com o tema Competição de variedades de mandioca para a indústria e aproveitamento de coprodutos na alimentação humana e animal, a iniciativa visa mostrar aos produtores novas possibilidades de aplicação de produtos derivados e oportunidades para geração de renda.

O Dia de Campo tem um modelo que se divide em seis estações, cada uma com uma especialidade definida. “O modelo do dia de campo é propício para a troca de experiências entre o produtor e o especialista. Após a explicação, sempre acontece uma demonstração prática do assunto abordado”, explica o gestor do APL Mandioca, Nelson Vieira.

A primeira estação será destinada à recepção e inscrição dos participantes, onde serão formados grupos para visitação às outras unidades. A visita será supervisionada por técnicos da Secretaria de Estado da Agricultura e do Desenvolvimento Agrário (Seagri).

Na segunda estação o tema abordado será Competição de Variedades de Mandioca, a ser apresentado pelo representante da Embrapa, Antônio Santiago. Os resultados da pesquisa da entidade com as 22 variedades da mandioca serão discutidos, objetivando a utilização de diversos tipos para o crescimento da produção e melhoria da qualidade do produto.

A terceira irá tratar do Uso da raspa da mandioca na alimentação humana e animal. O tema será apresentado pelo presidente da Câmara Setorial Produtiva Estadual da Mandioca e Derivados, Eloísio Lopes. O método é considerado importante para conservação do produto com seus valores nutricionais por um período maior, caso contrário o produto já começa a se deteriorar em um tempo bem menor.

Alimentação animal — Na quarta unidade o assunto é voltado para o uso da manipueira na alimentação de ruminantes, apresentado pelo técnico da Seagri, Valter Loureiro. A manipueira é um produto tóxico obtido durante a produção da farinha de mandioca. Após ser tratada, a substância pode ser oferecida aos animais que, segundo pesquisas, apresentam um ganho de peso de até um quilo por dia.

Na penúltima estação será apresentado o tema Uso de fornos eficientes pelo técnico da Secretaria de Desenvolvimento Econômico (Sedec), Pedro Moreira. A utilização de um novo desenho dos fornos melhorou o desempenho, gerando uma economia de até 60% de lenha e aumento na produção.

A última parte da visita é formada por uma praça de alimentação composta por produtos fabricados à base de fécula, goma e massa puba, feitos por uma indústria de beneficiamento local. A novidade é uma receita de pão preparada com 30% de farinha de mandioca e com o mesmo valor nutricional do pão comum.

“No geral os produtores de Junqueiro têm muito o que ganhar e aprender com esse dia de campo. São possibilidades para agregar valor ao produto deles e a possibilidade de usar essa produção para outros fins, gerando economia e resultados melhores”, explica o gestor.

O evento é realizado pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado do Planejamento e do Orçamento (Seplan), em parceria com o Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de Alagoas (Sebrae/AL), dentro do programa Territórios da Cidadania.