O futebol alagoano é diferente?

  • Redação
  • 24/11/2009 08:20
  • Machado

Li notícia dando conta que o presidente do CSA, Jorge VI, vai recorrer da decisão do presidente do Tribunal de Justiça Desportiva (TJD) de Alagoas, Talvanes Lins e Silva, que concedeu medida liminar requerida pela Procuradoria do próprio TJD, determinando a suspensão dos efeitos da decisão tomada pela Assembleia Geral Extraordinária dos Clubes, realizada no dia 12 de novembro, que recolocou o clube azulino na Primeira Divisão.
Não entendo de justiça desportiva, mas não sei a quem o inteligente presidente do CSA vai recorrer. Era fato notório que a assembléia que recolocou o CSA na Primeira Divisão ia mesmo parar nas barras da Justiça e que o clube do Mutange sairia prejudicado.
Não se brinca de fazer futebol, como querem fazer em Alagoas. Regulamento é para ser respeitado. A decisão da assembleia do dia 12 deste mês não apenas rasgou o Estatuto do Torcedor, a Lei Pelé, o estatuto da FAF e o próprio regulamento do Campeonato Alagoano. Portanto, não há o que se reparar, no caso do CSA.
Futebol é coisa séria e Alagoas precisa se colocar nos trilhos. São muitas as situações inusitadas aqui criadas, em nome de clube A ou B, que precisam acabar, em nome da seriedade.
O futebol não pode ser feito na base da vaidade. Estão aí os exemplos do Campeonato Brasileiro, onde grandes clubes tropeçam e são obrigados a brigar para ter direito a uma vaga onde estavam. E por que aqui tem que ser diferente?

DOIS TOQUES

• O presidente do Conselho Deliberativo do ASA, Alan Araújo convocou os conselheiros e demais associados patrimoniais para Assembleia Geral, que acontece nesta quarta-feira (25), às 19:30h, em primeira chamada. É provável que nesse encontro seja encontrada uma solução para a crise em que mergulhou o clube, após a renúncia coletiva de seus dirigentes. O ASA é grande, como seus dirigentes, e precisa de todos.

• O atacante Calmon está de volta à Pajuçara. O jogador foi o maior destaque do CRB no Campeonato Alagoano deste ano e, atuando como líder, teve pela frente uma desavença com o técnico Patinh, ficando fora da equipe que disputou a Série C e quase foi rebaixada. Calmon terá, agora, outro nome experiente para comandar a garotada alvirrubra: o meia Paulo Foiane, que foi capitão do ASA durante praticamente todo Alagoano deste ano.