Os Estados Unidos receberam bem a notícia de que o presidente interino de Honduras, Roberto Micheletti, vai deixar o poder por oito dias no período das eleições presidenciais de 29 de novembro.

"Estamos satisfeitos com o fato de ele se licenciar", disse Robert Wood, porta-voz adjunto do Departamento de Estado. "O anúncio nos permite algum espaço para que o processo de Honduras avance."

 

O objetivo da licença, segundo Micheletti, é permitir que os hondurenhos se concentrem na votação e na resolução da crise política que o país atravessa desde 28 de junho, quando um golpe de Estado derrubou o presidente Manuel Zelaya.

 

A crise intensificou-se em 21 de setembro com a volta inesperada de Zelaya ao país e seu abrigo no no prédio da Embaixada do Brasil, que desde então está cercado de militares e policiais.