Internet Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

Além das 1.500 cisternas que devem ser construídas até o final deste ano, visando possibilitar que os moradores do semi-árido tenham acesso a água potável, fator importante para a redução da mortalidade infantil em Alagoas, as secretarias de Estado da Saúde (Sesau) e a do Meio Ambiente e Recursos Hídricos firmaram parceria para ampliar o número de famílias beneficiadas.


A parceria consiste na construção de novas cisternas nos dez municípios onde se concentram os maiores índices de mortalidade infantil do Estado, já que segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS) os investimentos em saneamento básico e água potável reduzem em até 30% a mortalidade de crianças com idade entre zero a um ano de vida.


Com a construção das cisternas, devem ser investidos recursos da ordem de R$ 6 milhões, oriundos da Agência Espanhola de Cooperação. Por meio do projeto, além da construção das cisternas, serão estimuladas ações de educação ambiental, geração de emprego e renda e produção de alimentos, através do sistema de hidroponia, responsável pelo cultivo de plantas sem solo, onde as raízes recebem uma solução nutritiva balanceada que contém água e todos os nutrientes essenciais ao seu desenvolvimento.


Com a utilização de água de qualidade e produção de alimentos saudáveis, o governo do Estado espera melhorar a qualidade de vida da população, de forma a contribuir para que o povo alagoano não esteja entre os estados mais subdesenvolvidos do Brasil.