Ilustração Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

A diretoria do Consórcio Intermunicipal para Gestão de Iluminação Pública (Cigip) realizou a contratação de empresa do setor energético, que consiste em diagnosticar o consumo excessivo de energia elétrica em cada departamento público municipal. Nesta terça-feira (17), o estudo do Projeto de Eficiência Energética, com apoio dos técnicos do Cigip, acontece no município de São Brás, com objetivo de desenvolver a economia e o uso racional da energia elétrica na iluminação pública e prédios públicos. Durante três dias, serão colhidas informações com base no consumo de energia elétrica na localidade escolhida para teste.

 

“Em Alagoas, estamos realizando o projeto piloto de forma criteriosa no levantamento dos dados que serão formulados num pré-diagnóstico com o apoio dos técnicos do Cigip, que deverá ficar pronto em 40 dias. Com a participação do Gestor Municipal de Energia (GME) trançaremos metas para o uso racional de energia elétrica, não é apenas a redução, mas também a mudança de comportamento dos funcionários no uso, com apoio do gerente [WINDOWS-1252?]local”, explicou Luiz Oliveira, gerente de Eficientização Energética da empresa.

 

Há 6 anos, a empresa S de Souza Santos, tem projetos executados em 16 municípios espalhados pelo país, em Ariquemes (RO), o programa rendeu ao município participação na cidade de Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, para concorrer ao prêmio Internacional de Melhores Práticas de Consumo de Energia, por conta da significante economia de energia elétrica, resultando economia também, ao cofre público. Esse benefício é resultado de uma parceria que deu certo, entre Eletronorte e Eletrobrás através do Planejamento Municipal de Gestão Energética - PLAMGE -, implantado em setembro de 2006, no município.

 

De acordo com o presidente do Cigip, Marcelo Lima, a solução para atender as demandas nos municípios é buscar parceiras que viabilizem novas técnicas em prol do uso racional de energia em cada cidade. [WINDOWS-1252?]“Conforme o estudo, será analisado o que é realmente viável para os municípios consorciados. Buscamos sempre novidades na área para atender as solicitações dos gestores [WINDOWS-1252?]locais”, destacou.

 


LEDS

 

Durante a visita, no município de São Brás, o representante da MFX Eco Light, Filipe Sobreira, apresentou o modelo proposto que é a grande aposta do setor luminotécnico, no qual as inovações tecnológicas surgem a cada instante. Segundo Sobreira, os LEDs de alta eficiência possuem vida útil de mais de 50.000h e nunca queimam, apenas perdem um pouco da potência de luminosidade após muitos anos de utilização, não precisam de reator, não tem nenhum risco de mercúrio ou chumbo para o ambiente.

 

“Os municípios que optarem por essa nova solução, pode ter economia de 50% em suas faturas. O custo de um LED externo para poste de iluminação pública custa R$1.300, esse investimento trará em pouco tempo o retorno para o gestor. A manutenção do produto é realizada a cada 5 anos e as luminárias são adequadas às exigências da [WINDOWS-1252?]ANEEL”, enfatizou.

 

 

Benefícios

 

O representante da empresa destaca, por exemplo, as lâmpadas T8 e T5 são as fluorescentes tubulares que encontramos comumente em casas e edifícios. Normalmente, com 1,2 m e com 40 watts de potência de energia.