Agência Alagoas Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

A atual sede do Sindicato dos Empregados no Comércio do Estado de Alagoas, prédio onde funcionava a Sociedade Perseverança, está tombada e integrada ao Patrimônio Histórico, Artístico e Cultural do Estado de Alagoas. O casarão de estilo eclético e verde marcante, situado na Rua do Sol, faz parte da chamada Zona Especial de Preservação do Centro (ZEP-2) e agrega forte valor histórico.

A partir do final de século XIX, em uma época na qual os membros da classe comerciante eram conhecidos como “caixeiros”, o prédio acolheu a Sociedade Perseverança e Auxílio dos Empregados no Comércio de Maceió e, ainda hoje, conserva a maior parte de suas características originais. O lugar serviu de QG para reuniões dos comerciantes, assembleias que resultaram, inclusive, em conquistas ligadas aos direitos trabalhistas.

Assim, o governo considerou, ao tombar o prédio em âmbito estadual, a importância arquitetônica e a representatividade histórica do imóvel. Adriana Guimarães, diretora do Pró-Memória, conta que o pedido de tombamento foi enviado no primeiro semestre deste ano ao Conselho Estadual de Cultura, que tratou de dar encaminhamento ao processo.

Um tombamento estadual, além de proteger a arquitetura da cidade da descaracterização (havia rumores sobre a transformação do prédio em um estacionamento), possibilita a captação de recursos federais para reforma dos bens tombados. Isso já é realidade em alguns prédios do Estado, como pontua Adriana: “Está em fase de licitação os processos para as reformas das Catedrais Metropolitana de Alagoas e Diocesana de Penedo, além da Biblioteca Pública Estadual e do Misa. Outros exemplos de referenciais arquitetônicos que possuem recursos garantidos são a Igreja Nossa Senhora do Ó, em Ipioca, e o Museu Palácio Floriano Peixoto, que terá as telas de Rosalvo Ribeiro restauradas e a implantação do Memorial Lêdo Ivo”.

A iniciativa do tombamento foi do Instituto Histórico e Geográfico de Alagoas (IHGAL), por meio de seu presidente, o professor Jayme Lustosa de Altavila, que ressalta o esforço empreendido para viabilizar o projeto. “O valor deste tombamento pode ser compreendido também por meio do acervo daquele prédio, doado ao IHGAL com o fim da Sociedade Perseverança. Trata-se de uma vitória para nós do Instituto, que possuímos grande afinidade com nosso prédio vizinho e celebramos a união de esforços para a conservação da memória do Estado”, comemora Altavila.

“O tombamento da Sociedade Perseverança é uma conquista de todos os alagoanos. Com esse instrumento, é garantida a proteção desse bem, que representa muito da luta dos nossos trabalhadores”, acentua o secretário de Estado da Cultura, Osvaldo Viégas. De acordo ele, esta ação é mais um passo de muitos dentro do plano maior de conservação do patrimônio de Alagoas, ao qual o governador Teotonio Vilela é bastante sensível.