Angelo Farias Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

A situação relacionada aos mototaxistas em Arapiraca está cada vez mais complicada. Na semana passada a classe dos cadastrados cobraram em diversos meios de comunicação e em reuniões com a categoria a fiscalização da SMTT para com os clandestinos.

Recentemente, a Câmara Municipal de Arapiraca aprovou mais duzentas e setenta vagas para os novos motostaxistas. Aqueles que estavam aptos para assumirem as vagas já tomaram posse, mesmo assim existem algumas pendências com antigos e novos regularizados.

Diante desta situação, o superintendente da SMTT de Arapiraca, Severino Lúcio deu um prazo para que até o dia 20 deste mês aqueles que ainda não regularizaram sua situação possam pegar os coletes e plotar as motos, caso não compareçam a SMTT as vagas passarão para novos candidatos.

Outro fator que agora incomoda os clandestinos é que após esse prazo a SMTT irá punir os clandestinos com multa e apreensão de motos, pois estão ilegais e não podem circular com o transporte de passageiros.

Diante dessa atitude cobrada pelos cadastrados a SMTT, os clandestinos se uniram nesta quarta-feira (11), e realizaram um protesto em pleno centro de Arapiraca, com um buzinaço e com gritos de “Queremos trabalhar”. Os clandestinos cobram uma audiência com o superintendente Severino Lucio para impedir a fiscalização da SMTT.

O CadaMinuto entrou em contato com Severino Lúcio que informou que está seguindo a lei municipal onde só pode circular como moto taxi o condutor cadastrado com colete e plotagem e que a SMTT deu um prazo para quem estiver faltando regularizar a sua situação.

Severino Lúcio destacou que os motostaxistas cadastrados cobram a fiscalização e os clandestinos exigem mais vagas. “Isso cabe ao legislativo municipal. Nosso trabalho é fiscalizar. Não podemos gerar mais vagas”, explicou.

O que acontece é que Severino Lucio está sendo solicitado pelas duas categorias e recebendo pressão dos dois lados.