Ascom- TRT 12579446509142885m Acervo do memorial foi reconhecido como patrimônio histórico dos alagoanos

Nos principais centros jurídicos do mundo, Francisco Cavalcanti Pontes de Miranda (1892-1979) é uma referência. Nascido em Maceió, no engenho Mutange, em Bebedouro, bem jovem, aos 19 anos, formou-se bacharel em Direito, na faculdade de Recife.

Ao longo de sua carreira, recebeu prêmios da Academia Brasileira de Letras. Fez parte de Conferências Internacionais na Alemanha, Holanda e Estados Unidos e chefiou missões diplomáticas. No país inteiro, é reconhecido como professor honoris causa de diversas instituições de ensino.

Mas por que tamanho reconhecimento? O jurista é tido como o principal autor de tratados de todos os tempos. Somente um dos trabalhos, sobre o Direito Privado, é composto por 60 volumes. É considerada a maior obra universal escrita por um só homem.

A história do jurista pode ser conhecida em detalhes numa visita ao Memorial Pontes de Miranda, que faz parte do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) de Alagoas. Todo o acervo já foi reconhecido como patrimônio histórico dos alagoanos, pelo governo. Essa é uma mostra de que os bens tombados vão além das construções.

O memorial, localizado na Avenida da Paz, 2076, Centro, também apresenta parte da história da justiça do Trabalho no Estado. Mas é o legado de Pontes de Miranda que mais atrai a atenção dos visitantes. Ele não se dedicou somente às ciências jurídicas. Era filósofo, poeta, sociólogo, conhecedor de lógica e física. Aos 12 anos, já escrevia poesias para os jornais. Era um homem a frente de seu tempo.

No próximo dia 22 de dezembro, faz 30 anos da morte de Pontes de Miranda. Visite o memorial e conheça mais das ideias e do patrimônio deixado por esse ilustre alagoano. O espaço funciona de segunda à quinta-feira, das 13h às 17h, e às sextas, das 9h às 13h. A entrada é gratuita. Mais informações: (82) 2121-8122.