Nunes Lima é homenageado em Paulo Jacinto

  • Redação
  • 07/11/2009 20:19
  • Interior
Adailson calheiros

A cidade de Paulo Jacinto preparou o que tem de melhor para receber, neste sábado (7), o jornalista Nunes Lima, que foi homenageado pelo governo do Estado e a prefeitura municipal. Na solenidade, realizada no Clube Recreativo Paulojacintense, Nunes também relançou o livro Vidas sem Retoque, que reúne 34 crônicas de sua autoria publicadas, ao longo de duas décadas, na coluna dominical de mesmo nome no jornal Gazeta de Alagoas.

A homenagem a Nunes Lima levou a Paulo Jacinto autoridades estaduais, jornalistas, familiares e amigos do homenageado. sociedade. A solenidade foi aberta pela apresentação da banda do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (Peti), e a execução do Hino Nacional pela cantora Leureny Barbosa. Em seguida, o prefeito Marcos Lisboa saudou os convidados e destacou a alegria de homenagear o jornalista que, tendo nascido em Maceió, adotou o município de Paulo Jacinto como seu e foi por ele adotado.

O prefeito disse que, quando era criança, visualizava os personagens retratados por Nunes Lima, achando-os parecidos com pessoas do cotidiano de Paulo Jacinto. “Eu não sabia que o Nunes era daqui nem que vinha daqui a inspiração para o trabalho dele, mas já admirava seu trabalho e identificava nele essa identidade com o povo simples da minha terra”, disse Marcos Lisboa.

O prefeito informou, durante a solenidade, que vai apresentar projeto para homenagear o jornalista com o nome de um logradouro do município e anunciou a compra de 50 exemplares de Vidas sem Retoque para distribuir nas escolas da rede pública.

O jornalista Ênio Lins, também chargista, falou do amor de Nunes pela cidade de Paulo Jacinto e da contribuição de seu trabalho, não só para a formação de gerações de profissionais que o sucederam, mas também para a consolidação de um estilo único de ser cronista. “Paulo Jacinto não viu nascer Nunes, mas Nunes foi um dos cidadãos que fizeram nascer esta cidade”, disse, referindo-se ao fato de Nunes ter participado, no início dos anos 50, do movimento pela emancipação de Paulo Jacinto, emancipada de Quebrangulo em 1953.

“Nunes Lima é um dos maiores jornalistas do Brasil nas áreas a que ele resolveu se dedicar — a charge e a crônica”, disse Ênio. “O estilo é o mesmo do Péricles, autor do Amigo da Onça, posteriormente substituído e que tende a desaparecer. Nunes é o único jornalista que mantém esse estilo vivo. Ele retrata o cotidiano da gente simples, que anda de ônibus, que faz feira no mercado público. O município de Paulo Jacinto homenageia um dos grandes jornalistas do Brasil”, disse Ênio.

Representando o Governo, o secretário chefe do Gabinete Civil, Álvaro Machado, destacou a conduta ética do jornalista Nunes Lima, com o qual trabalhou, no tempo em que foi correspondente da Gazeta de Alagoas no município de Pão de Açúcar. “Honra-me, como representante do Governo, prestar essa homenagem ao brilhante jornalista e querido amigo Nunes Lima. Ele soube, com leveza, elegância, criatividade e humor inteligente, expressar a Vida sem Retoque”, afirmou o secretário.

Amigo pessoal de Nunes, Machado destacou sua contribuição para a emancipação e de sua inquietação, já nos anos 50, em dar voz à gente simples da localidade. “Seu trabalho acompanha gerações de alagoanos, retratando com sutil ironia o modo de ser e de viver do alagoano simples. Nunes é espelho para Alagoas e para o mundo. Nascido em Bebedouro, adotou e foi adotado por Paulo Jacinto, onde editou o jornal Xaxado, de 4 páginas, feito em papel de embrulho. Participou da campanha de emancipação do município e até integrou um conjunto musical chamado Quinteto Infernal, de única apresentação”, relatou, com bom-humor, o secretário.

Álvaro Machado falou da trajetória e da conduta profissional do jornalista. “Nunes iniciou sua vida como jornalista profissional na Gazeta de Alagoas, onde foi editor de Municípios. Foi neste período que travei contato com Nunes, com quem aprendi a tocar a vida com ética e humor. Não poderia ter tido melhor professor do que o Pessoa, como também é
Adailson Calheiros


Sobre a iniciativa do governo do Estado, de prestar a homenagem ao jornalista, Machado disse estar satisfeito por ser o porta-voz do reconhecimento público à contribuição de Nunes para o Estado. “Nunes Lima marcou o jornalismo alagoano pela identificação única com o alagoano do povo, com os sentimentos mais legítimos de nossa gente. Ele entrará para a história como o mais íntegro dos jornalistas alagoanos”.

O secretário da Cultura, Osvaldo Viégas, destacou a importância do traço de Nunes Lima como representação dos costumes do povo de Alagoas. “Suas charges e crônicas contribuem com a cultura alagoana. Usos, costumes, saberes e fazeres do povo alagoano estão muito bem registrados em seu trabalho. Ele engrandece a cultura de Alagoas", frisou.

Avesso a falar em público, Nunes designou o filho, Márcio Tenório, para falar em seu nome. “Agradeço à prefeitura e ao governo do Estado pela homenagem ao meu pai e por me proporcionar a vinda a esta cidade, que, sendo tão importante para meu pai, ainda não havia tido a oportunidade de conhece”, salientou.

A sessão de autógrafos foi realizada no hall do clube, onde foram expostas charges marcantes da obra de Nunes Lima, trabalhos em tecido da associação de artesãs local, quadros a óleo e desenhos dos artistas Edmilson Oliveira e Lucas Marcondes, naturais de Paulo Jacinto