O ministro da Cultura, Juca Ferreira, afirmou hoje (5) que existe uma expectativa grande do governo sobre a aprovação do vale-cultura pelo Congresso Nacional.

Ele lembrou que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva já enviou mensagem com pedido de urgência aos parlamentares e senadores e que o projeto tramita na casa com celeridade. “Espero que, no Natal, possamos dar esse presente aos trabalhadores.”

Ao participar de entrevista a emissoras de rádio durante o programa Bom Dia, Ministro, ele avaliou a realidade brasileira como uma espécie de “apartheid cultural”, pois menos de 20% da população têm acesso ao que é produzido no país. “Não poderíamos continuar apenas financiando a produção sem financiar o consumo”, afirmou.

Ele destacou que, por meio do vale-cultura, será possível incluir diretamente até 12 milhões de trabalhadores no universo cultural. O ministro voltou a admitir, entretanto, que o valor pago pelo benefício – R$ 50 – é pouco e que o próprio presidente confirmou isso.

Para ele, o valor do benefício deveria varia de acordo com a faixa salarial de cada trabalhador, podendo chegar a R$ 150. “Mas tudo tem seu início, e os degraus existem para avançarmos em direção ao objetivo”, disse, ao destacar que o investimento na cultura vai gerar aquecimento da economia, abertura de negócios, queda na produção e na venda de CDs e DVDs piratas e aumentar emprego e renda.

“Concordamos que é pouco, mas a média da maioria dos brasileiros em gastos com a cultura não chega a R$ 40. São R$ 7 bilhões ao todo nas mãos. Vamos assistir nos próximos anos, a uma queda na entrada no teatro, no preço dos livros e CDs.”