Na última sexta-feira (10), a Secretaria de Estado da Agricultura, Pecuária, Pesca e Aquicultura (Seagri) apresentou o novo sistema do Programa do Leite em Alagoas. A ferramenta foi desenvolvida com o intuito de diminuir a burocracia, reduzir o excesso de documentos físicos e assegurar que o leite seja entregue com rapidez ao beneficiário. Sendo uma forma bastante eficaz para facilitar o acesso ao programa e levar ainda mais transparência para a população.

Aliado com a tecnologia para gerar melhores resultados, o novo sistema implementado pela gestão da Seagri (2020) foi apresentado para toda a população em uma Live com a participação direta de cooperativas, prefeituras, instituições e fornecedores. O sistema será utilizado pelas cooperativas fornecedoras e pelos pontos de distribuição das entidades beneficiárias do programa.

Com objetivo de facilitar o andamento das demandas do leite e agilizar o processo inicial até a entrega ao beneficiário, a nova ferramenta deve começar a ser utilizada no segundo semestre de 2020. Com mais transparência e eficiência, os participantes que tiverem direito ao leite poderão reunir as documentações no sistema, uma forma de amenizar a burocracia entre o produtor e as cooperativas.

O secretário da Agricultura de Alagoas, João Lessa, comemorou a melhora do programa e ressaltou o grande benefício que isso trará para a população. “A ferramenta proporciona além de facilidade, um controle mais eficaz no fornecimento e repasse do leite. Desta forma, será identificado se o produtor está regularizado e, além disso, a ferramenta registrará a quantidade de leite que cada produtor pode fornecer ao programa. Uma ferramenta que vai nos ajudar muito a levar o leite a quem realmente precisa”, explica Lessa.

Para facilitar a entrega, os participantes que estejam cadastrados no CadÚnico e tiverem o perfil do Programa Bolsa Família poderão receber o leite nos pontos de distribuição. A prioridade é para idosos, gestantes e crianças. Atualmente, o Estado de Alagoas conta com 670 pontos de distribuição. Como nova medida, o responsável pela entidade distribuidora deverá informar ao sistema a quantidade de leite distribuída para cada participante e relatar se o usuário está com seu Número de Identificação Social (NIS), cadastro de cidadãos que têm direito a participar de Programas Sociais instituídos pelo Governo Federal.

As cooperativas irão ter acesso a base de dados da Declaração de Aptidão ao Pronaf (DAP), que é o documento que identifica o produtor familiar e é necessário para que esse agricultor tenha acesso às políticas públicas de crédito e aos programas de compras institucionais. “O aplicativo irá funcionar muito bem, principalmente na relação com o beneficiário. O recadastramento vai ajudar realmente quem precisa ser beneficiado. É um sistema que vem a somar muito com o Programa do Leite em Alagoas. Com isso, vamos conseguir manter o programa satisfatório para todos e sempre estar renovando nossa base de dados. Mantendo a transparência, que é uma das nossas prioridades”, ressaltou Gustavo Ramos, Diretor Técnico da Cooperativa de Produção Leiteira de Alagoas (CPLA).

O Programa do Leite foi criado em 2002 e colabora com 9 estados brasileiros. Em Alagoas, a iniciativa ajudou mais de 80 mil famílias. Para Alice dos Santos, beneficiária do programa e moradora do Jacintinho, o leite é uma grande ajuda na alimentação da família. “Eu tenho uma mãe de 69 anos e uma criança de 5 anos que depende do leite que recebemos através do Programa do Leite, da Seagri. O dinheiro que eu gastava comprando leite para alimentar minha família, compro outros mantimentos que precisamos; então eu parabenizo a secretaria pelas melhorias com esse sistema. Eu como beneficiária só tenho a agradecer”, disse.

Na ocasião, o coordenador do Programa do Leite, Dennis Calheiros, falou sobre a importância da ferramenta para os produtores, principalmente os que fazem parte da agricultura familiar. É um programa de muita importância, que atende cerca 80 mil alagoanos e ajuda 2.400 produtores. Precisa de uma ferramenta que possua uma maior eficácia e transparência em todo o processo, desde a entrega do leite do produtor às cooperativas, até a entrega do leite aos beneficiários finais. Tenho certeza que servirá de modelo para outros Estados”, finalizou.

O encontrou foi realizado respeitando todas as medidas de segurança contra a Covid-19 e com o auxílio de  uma plataforma digital, contando com a presença do Secretário de Agricultura, João Lessa, o Secretário Executivo de Agricultura, Henrique Soares, o Coordenador do Programa do Leite, Dennis Calheiros, além do Superintendente de Irrigação e Unidades Avançadas, Rodrigo Araújo e o Secretário Executivo de Gestão Interna, Rodrigo Gaia.