Três unidades sentinelas disponibilizadas à população de Maceió para o acompanhamento e tratamento de pacientes com sintomas leves de síndromes gripais, voltaram a registrar queda no número de atendimentos nas duas primeiras semanas de julho. As unidades que registraram redução estão localizadas no Graciliano Ramos, Santa Amélia e Jacarecica.

Apenas na unidade do Novo Mundo, o número de usuários que procuraram por esse tipo de atendimento se manteve em crescimento.

Desde que foram colocadas em funcionamento, nos meses de maio e junho – como parte das ações de enfrentamento do novo coronavírus – até este domingo (12), a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) registrou um total de 19.324 atendimentos realizados pelas Unidades de Referência em Síndrome Gripal (URSG) do município.

Encerrada a segunda semana de julho, a unidade Walter Moura, na Santa Amélia, foi a que registrou maior redução de atendimentos, indo de 476, na última semana de junho, para 361 neste levantamento, ou seja, 115 casos a menos. No mesmo período, a unidade Jorge Duarte Quintela, no Graciliano Ramos, registrou a redução de 425 para 350 atendimentos.

Na unidade Maria da Conceição Paranhos, em Jacarecica, a tendência de queda que também havia sido notada no final de junho, com um total de 500 atendimentos, sofreu uma leve alteração na primeira semana deste mês, mas se manteve nessa última semana, com um total de 437 registros.

Na unidade do Novo Mundo, no entanto, os números fizeram o caminho inverso. Apresentaram queda nos atendimentos realizados na última semana de junho (406) e na primeira semana de julho (300), mas voltaram a crescer na semana passada, atingindo um total de 435 usuários atendidos.

“Continuamos atentos à movimentação que as unidades sentinela têm apresentado desde o final de junho, mas seguimos em estado de atenção, garantindo o tratamento adequado e oportuno aos usuários que ainda têm procurado esses serviços com sintomas leves como coriza, febre e tosse, entre outros. Nossa tarefa é evitar que precisem de atendimento mais complexo, numa unidade hospitalar”, reforça o secretário José Thomaz Nonô.

As unidades – As unidades funcionam todos os dias, das 7 h às 19h. Os usuários têm acesso à triagem e aos encaminhamentos necessários, como medicação e realização de exames, incluindo teste rápido para os casos que atendem aos critérios necessários. As unidades dispõem de salas de triagem, atendimento médico, observação, de procedimento e medicação, testagem, coleta, espaços específicos para a realização de exames de Raio-X e ECG, além de espaço para a equipe do Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (Cievs).

Quando procurar ajuda – Os pacientes com coriza devem ficar em casa e monitorar. Já os que apresentam coriza e febre, devem ficar em casa, mas atentos ao surgimento de outros sintomas. Se tiver coriza, febre e tosse, eles devem se dirigir a uma unidade de saúde referência em síndrome gripal e, em caso de coriza, febre, tosse e falta de ar, procurar uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) mais próxima ou acionar o Samu (192).