AMA solicita ao Governo do Estado contrapartida para Programa do Leite

  • Assessoria
  • 07/07/2020 12:13
  • Interior

A Associação dos Municípios Alagoanos (AMA) enviou um ofício ao governador Renan Filho solicitando o pagamento dos valores atrasados e a contrapartida do valor atual para continuidade do Programa do Leite. O Programa é do Governo Federal, com contrapartida Estadual.

Segundo o diretor presidente da Cooperativa de Produção Leiteira de Alagoas (CPLA), Aldemar Monteiro, devido à mudança de ministro e logo depois à pandemia, não foi pactuado no início do ano o valor que o Governo Federal repassaria para o programa. Com isso, o Governo do Estado não repassou sua contrapartida.

O atraso de janeiro a junho não fez as cooperativas pararem de distribuírem o leite nos municípios alagoanos. “Entendemos que o programa é muito importante, além de fazer a economia dos municípios girar, organiza a cadeira produtiva, fortalece o cooperativismo e resgata o produtor”, destacou.

No mês de junho, a bancada federal garantiu verbas na ordem de R$19.800.000,00, mas para liberação da verba o pacto foi que o governo estadual pague o valor em atraso, além da contrapartida de 20%. O valor garante a distribuição de leite até março de 2021. De acordo com a CPLA, o programa absorve de 10 a 20% da produção de Alagoas, além de servir como um balizador do preço no mercado.

Programa do Leite

O Programa do Leite em Alagoas foi criado em 2002 e é responsável pela qualidade na alimentação de cerca de 80 mil famílias que se encontram em situação de vulnerabilidade social, insegurança alimentar e nutricional, nos 102 municípios alagoanos.

A distribuição é de 4 litros de leite por semana, o que fortalece a cadeia produtiva do leite no estado que conta com mais de 3 mil agricultores familiares.