Aos 82 anos, Fernando Villar Coutinho faleceu na madrugada desta quarta-feira, 1º de julho, em sua Fazenda Curral de Cima, no município de Igreja Nova, Alagoas. Ele foi sepultado na propriedade, como queria, em cerimônia restrita aos familiares.

Agricultor, pecuarista, Fernando Coutinho deixa um legado para a pecuária alagoana e nacional. Mas sua grande marca será sempre a bondade e o sorriso. Quem teve o privilégio de ir até a fazenda Curral de Cima certamente lembrará do anfitrião, que sabia receber como poucos.

Em seu blog, o jornalista Edivaldo Junior relata que esteve na Fazenda Curral de vima algumas vezes. "Tive o prazer de ser recebido por um senhor que nunca deixou de sonhar, de inovar, de construir, de fazer o bem. Fernando Coutinho me apresentou a sua sala de troféus, recheadas de premiações conquistadas em competições regionais e nacionais. Mas agora, quando lembro dele, do seu jeito de ser, acredito que seu maior título, seu maior campeonato, foi o da generosidade", disse.

Homenagens

Na Expoagro Alagoas de 2019, Fernando Coutinho foi homenageado e reverenciado por vários criadores. Ele foi ao evento acompanhado de um dos seus filhos, Renato, talvez antecipando uma “despedida” do setor que ajudou a construir.

Na fazenda Curral de Cima, como lembra o presidente da Associação dos Criadores de Alagoas, Domício Silva, Fernando foi pioneiro na realização de leilões agropecuários e se tornou referência nacional na raça nelore, além de ser um dos primeiros criadores e disseminadores de raças como quarto de milha e mangalarga marchador.

“Ele se destacou pelo pioneirismo na criação de várias raças e trouxe para Alagoas os primeiros leilões na Fazenda curral de Cima. Tem uma grande contribuição na pecuária de Alagoas, foi destaque na criação do nelore a nível nacional e influenciou muito Alagoas. Deixa um grande legado na pecuária”, afirma Domício.

O presidente da ACA, lembra que Fernando Coutinho também foi presidente Associação dos Criadores de Alagoas e de várias associações do setor e ajudou a a trazer a ABCZ para Alagoas, incentivando a realizado de eventos e exposições que fomentam a atividade agropecuária no Estado. Domício também destaca pessoa outra característica do criador: “Fernando era conhecido pela sua bondade ímpar e imensa generosidade. Um grande amigo, grande anfitrião, que gostava e sabia receber as pessoas”, aponta.

Fernando Coutinho foi presidente da Associação dos Criadores de São Miguel dos Campos, conseguiu trazer o Escritório da Associação Brasileira dos Criadores de Zebu (ABCZ) para Alagoas, foi conselheiro da ABCZ por duas gestões, foi também o fundador e presidente da Associação Alagoana de Equídeos e conquistou vários títulos de campeonatos nacionais. Além disso, foi fundador da "Hípica" de Maceió e representante de Alagoas nas lideranças rurais brasileiras.

Trajetória

Fernando Coutinho foi diretor e durante vários anos trabalhou na Usina Sinimbu, mas sua grande paixão foi a agricultura e pecuária. O produtor foi uma referência na pecuária brasileira. E segundo o Portal DBO, acumulou grande experiência e se destacou na seleção e melhoramento genético de bovinos das raças Nelore, Nelore Mocho, Girolando e Gir, além de equinos Mangalarga Marchador e Quarto de Milha e ovinos Santa Inês.

Animais selecionados do rebanho da Fazenda Curral de Cima foram premiados em eventos nacionais e formaram plantéis de diversos criatórios. Além disso, o tradicional “Leilão de Curral de Cima” era reconhecido como o mais antigo em Alagoas, sempre com casa cheia e exemplares de alta qualidade genética.

“Fernando produziu em sua fazenda o touro Nelore Mocho Siso de FC, filho de Ludy de Garça e grande campeão nacional da ExpoZebu 1992. Siso de FC foi negociado à Varrela Agropecuária, que pertencia ao saudoso senador Carlos Lyra.”, registra o Portal DBO.

Perda

Fernando Coutinho deixa quatro filhos. Em comunicado nas redes sociais, eles registraram a perda. “Nosso pai faleceu em paz, por motivos naturais, em seu paraíso, na Fazenda Curral de Cima, onde será sepultado, como ele queria. Fernando Coutinho deixa um legado de amor ao próximo e à família. Fez acima de tudo bons amigos e se dedicou com amor e determinação à pecuária, levando Alagoas às grandes exposições do Brasil”, diz a nota de pesar enviada pela família.