Marx Beltrão apela para Renan Filho sancionar Projeto que libera transporte intermunicipal

  • Assessoria
  • 01/07/2020 17:02
  • Interior
Marx Beltrão

O deputado federal Marx Beltrão (PSD) fez um apelo nesta quarta-feira (01) ao governador Renan Filho (MDB), para que o governo sancione o projeto de lei, já aprovado pela Assembleia Legislativa, que prevê a manutenção das operações do serviço de transporte rodoviário intermunicipal de passageiros, regular e complementar, pelo Poder Executivo de Alagoas, mesmo na vigência de situações de emergência, calamidade pública ou anormalidade como neste momento de pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

“Os transportadores precisam trabalhar e estão dispostos a seguirem os protocolos de saúde contra a Covid-19. E mais: todos estão parados e sem renda. Também a necessidade de se ofertar transporte para milhares de pessoas do interior, que não têm alternativa de locomoção a não ser as vans, microônibus e os táxis. Este serviço precisa ser retomado com segurança e com urgência. Por isso, peço ao governador Renan Filho que sancione esta matéria”, defendeu Marx Beltrão.

O projeto de lei estadual é autoria da deputada Cibele Moura (PSDB). Em março de 2020, no Congresso Nacional, Marx Beltrão protocolou um Projeto de Lei (PL) que propõe a legalização da lotação intermunicipal. A proposta autoriza que taxistas que fazem transporte entre municípios compartilhem a corrida entre vários passageiros. O deputado federal vem se destacando na cobrança pelo retorno da atividade do transporte complementar em Alagoas, paralisado diante da crise causada pelo novo coronavírus.

Em pronunciamento feito em maio deste ano, o parlamentar ressaltou que as categorias do transporte intermunicipal de passageiro buscam, sobretudo, apoio e incentivo do Estado para ter suas atividades funcionando de maneira segura, seguindo os protocolos rigorosos de saúde e respeitando um plano cuidadoso. “Eles estão há meses praticamente parados e buscam o apoio emergencial. Eles querem a liberação do frete entre os municípios, para poder transportar a população respeitando as normas de saúde buscam auxílio financeiro, um adiamento de impostos, isenção fiscal ou mesmo anistia. É um pedido de socorro, uma ajuda, o que é totalmente justo e legítimo”, afirmou o parlamentar na ocasião.