Como se não bastasse todo o sofrimento e problemas que a pandemia do novo coronavírus trouxe para Alagoas, o vírus que continua bem vivo por aqui é o da ganância. Davi Brandão, prefeito de Viçosa e a secretária de Saúde do referido município, Cláudia Souza Monteiro estão sendo investigados por suposto superfaturamento na compra de álcool etílico e álcool em gel, que, em tese, deveriam ser utilizados em ações de combate à Covid-19.

De acordo com a publicação no Diário Oficial do Ministério Público Estadual desta quarta-feira, dia 01, a municipalidade teria pagado o valor de R$55,00 por cada litro de álcool em gel e R$ 50,00 pelo litro do álcool etílico.

O MPE irá realizar uma oitiva online para que as partes possam explicar a compra.

Haja álcool gel para acabar com essa “doença”.