Cortesia Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Câmara Municipal de Maceió

Uma pesquisa eleitoral “fake” sobre as intenções de votos para vereador por Maceió no pleito eleitoral de novembro deste ano, está circulando nas redes sociais, como se o levantamento tivesse sido realizado pelo Instituto Falpe.

Em conversa com o Blog, o diretor-geral do Falpe, Francisco Nunes denunciou a fraude: “Utilizaram o nome do Instituto, a logomarca e até o meu nome para divulgar a falsa pesquisa. Quero esclarecer que o Falpe não tem absolutamente nada a ver com esse suposto levantamento”.

Da pesquisa forjada consta apenas uma pergunta estimulada: “Se as eleições para vereador fossem hoje, em qual destes nomes o (a) sr. (a) votaria?”, seguida de uma lista de 50 possíveis pré-candidatos.

Os responsáveis pelo levantamento “fake” ainda informaram que foram entrevistadas 3.500 pessoas na capital, entre os dias 25 e 27 de junho.

Vale lembrar que, conforme o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a divulgação de pesquisa fraudulenta é crime passível de detenção de seis meses a um ano e multa. No site da Justiça Eleitoral, é possível verificar se a pesquisa divulgada foi ou não registrada.