Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

A informação de quem homem foi declarado morto e enterrado vivo, que circula em grupos de Whatsapp de Alagoas, é falsa. De acordo com o Governo do Estado, a gravação foi feita em janeiro de 2019, em um cemitério da cidade de Tarauacá, no interior do Acre, na região Norte do Brasil e não tem qualquer relação com a pandemia do coronavírus, decretada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) apenas em 11 de março deste ano.

A mensagem bastante propagada vem através de um vídeo onde aparece um homem sendo retirado de um túmulo por policiais militares. O material é acompanhado por um áudio gravado por uma pessoa não identificada que diz que o homem teria sido enterrado vivo após ser diagnosticado erroneamente com o novo coronavírus. A informação é falsa.

“O camarada com problema de coração foi enterrado vivo. O médico diagnosticou que ele estava com Covid e disse que o homem tinha morrido, mas só tinha desmaiado. E agora o coveiro ia passando na hora e viu um som na catacumba. Então chamaram a polícia. A vergonha dos médicos brasileiros”, diz um trecho do áudio.

De acordo com informações de um dos maiores sites de notícias do Acre, o homem teria ficado preso no túmulo após ingressar no espaço na tentativa de se despedir do pai, que havia falecido dias antes na cidade.

Alagoas Sem Fake

Com foco no combate à desinformação, a editoria Alagoas Sem Fake verifica, todos os dias, mensagens e conteúdos compartilhados, principalmente em redes sociais, sobre assuntos relacionados ao novo coronavírus em Alagoas. O cidadão poderá enviar mensagens, vídeos ou áudios a serem checados por meio do WhatsApp, no número: (82) 98161-5890.

*Com informações da Assessoria.