Foto: Dicom CMM Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Iniciativa agora segure para sansão ou veto do prefeito Rui Palmeira.

A Câmara Municipal de Maceió aprovou, após pedido de Regime de Urgência e sessão extraordinária, nesta terça-feira (2), projeto de lei que cria complemento do valor pago no auxílio às pessoas mais carentes e atingidas pela crise da pandemia de covid-19. 

A lei contempla, entre outras categorias, trabalhadores informais, beneficiários do bolsa família, taxistas e professores. 

De autoria do vereador Galba Novaes (MDB), o "complemento do “coronavoucher”, como foi chamado pelo parlamentar, já existente em capitais como Salvador (BA), faz com que o Executivo municipal pague valor que, somado aos R$ 600 do auxílio, atinja R$ 1.045 estabelecido como salário mínimo em vigor. Votado em segunda discussão, o PL segue para sanção ou veto do prefeito Rui Palmeira (sem partido).

Emocionado, Galba Novaes afirmou que todos estão bastante esgotados com a crise sanitária e econômica causada pela covid-19, e o Legislativo registra, em seus anais, uma data histórica.

"Não tenho palavras para agradecer a todos os vereadores que, por unanimidade, aprovaram tão importante iniciativa. Estamos todos psicologicamente abatidos, preocupados e, confesso, emocionado com este dia, porque vejo parlamentares comprometidos com o bem comum da população. Esse complemento do 'coronavoucher' vai fazer com as pessoas mais necessitadas comprem comida e outros itens como remédio, sobretudo para quem foi infectado e necessita de monitoramento em casa", declarou.

 

*Com Assessoria