Cortesia assessoria Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Rio Mundaú

O rio Mundaú atingiu a cota de alerta no domingo (31) no município de União dos Palmares, em Alagoas, ao superar 2,75 metros. Na madrugada desta segunda-feira (1º) o rio continuou subindo até atingir a cota de 3,09 metros. As informações foram divulgadas para as autoridades de Defesa Civil municipal e estadual por meio de boletim extraordinário do Sistema de Alerta Hidrológico da bacia do rio Mundaú, operado pelo Serviço Geológico do Brasil (CPRM).

Segundo a CPRM, que é vinculada ao Ministério de Minas e Energia, o rio começou a descer a partir das 7h30 desta segunda-feira (1º). De acordo com a previsão, foi descartada a possibilidade de atingir a cota de inundação, que é de 3,28 metros no município. O rio Mundaú havia entrado na cota de alerta na última quinta-feira (28) devido às chuvas no município de Correntes, em Pernambuco, mas havia retornado ao patamar de atenção. No entanto, a previsão de mais chuvas levou a equipe a projetar a possibilidade de ocorrer novamente a elevação dos rios, o que foi confirmado.

O Sistema de Alerta Hidrológico da bacia do rio Mundaú possui oito pontos de monitoramento nos rios Mundaú, Canhoto e Inhumas, com previsão hidrológica para os municípios de União dos Palmares e Murici (AL), beneficiando uma população de 89.064 habitantes. A bacia do rio Mundaú abrange uma área de 4.150km², sendo 52% em Pernambuco e 48% em Alagoas.

ENTENDA OS PATAMARES - São utilizados três patamares como referência. Na cota de atenção, simbolizada pela cor amarela, a CPRM inicia a mobilização das equipes e a preparação dos modelos de previsão. Quando o rio atinge a cota de alerta, representada pela cor laranja, os modelos de previsão entram em operação contínua, produzindo boletins atualizados enviados a todo momento às autoridades. Vermelho é quando o rio transborda e foi alcançada a cota de inundação em algum ponto monitorado.

Os dados hidrológicos utilizados nos boletins são provenientes da Rede Hidrometeorológica Nacional, que é de responsabilidade da Agência Nacional das Águas (ANA) e operada pelo Serviço Geológico do Brasil (CPRM), além de outros parceiros. As previsões apresentadas são baseadas em modelos hidrológicos e estão sujeitas às incertezas inerentes aos mesmos. As informações podem ser conferidas no Sistema de Alerta Hidrológico (SAH) do Rio Mundaú por meio do link http://sace.cprm.gov.br/mundau/

*Com assessoria