Reprodução Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Operação Ragnarok

Alagoas é um dos estados lesados pela quadrilha ligada à empresa Hempcare, da qual o Consórcio Nordeste comprou 300 respiradores durante a pandemia do novo coronavírus. Em nota, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) informou, nesta segunda-feira (01), que Alagoas deveria receber 30 respiradores, e agora aguarda o ressarcimento de R$ 4 milhões.

Nesta manhã, a Polícia Civil da Bahia - cujo governo preside o Consórcio Nordeste – prendeu três pessoas ligadas à empresa, que se apresentava como revendedora dos produtos,  e que integrariam uma quadrilha especializada em estelionato e fraudes na venda de equipamentos hospitalares. A operação Ragnarok cumpriu 15 mandados de busca e apreensão em Salvador, São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília.

Ainda conforme a assessoria de Comunicação da Sesau, em coletiva marcada para as 18h de hoje, o secretário de Saúde, Alexandre Ayres, dará mais detalhes acerca da compra e de como se dará o ressarcimento.

A investigação apontou que o colegiado pagou R$ 48 milhões por aparelhos que não foram distribuídos aos estados da região e o dinheiro não foi devolvido.

Ainda segundo informações da PC da Bahia, a empresa falsificou um “contrato” com a China para a compra dos equipamentos. Além dos mandados, foram solicitados bloqueios de contas, busca e apreensão, para garantir a recuperação do dinheiro.