Caged: número de demissões em Alagoas é o terceiro maior do Nordeste durante pandemia

Redação|
Carteira de Trabalho
Carteira de Trabalho / Foto: Agência Brasil

Dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) no mês de abril mostrou que Alagoas conseguiu manter mais de 60 mil empregos formais com o Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e Renda. No entanto, o número de desempregados é considerado o terceiro maior do Nordeste.

Os números, divulgado nesta quarta-feira (27), mostram que Alagoas chegou pouco mais de 26 mil postos de trabalho entre os meses de janeiro e abril. No Nordeste, o cenário foi pior em Pernambuco que fechou 53 mil desligamentos e na Bahia com 37 mil.

No mês de abril, quando a doença avançou ainda mais pelo estado, Alagoas fechou 7.095 postos de trabalho, principalmente no setor do comércio, que está com as portas fechadas devido às medidas de isolamento social.

O Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e Renda foi lançado pelo governo federal para tentar frear o número de desempregos em todo país com os efeitos da pandemia e permite a redução proporcional de jornada e salário dos trabalhadores ou suspensão de contratos.

Em todo país, a  pandemia do coronavírus levou a um número recorde de desligamentos em abril, com o saldo entre contratações e demissões ficando negativo em 860.503. O número é o maior já registrado no mês de abril na série histórica.

De acordo com os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), que tem início em 1992, o pior desempenho para o mês havia sido em abril de 2015, que registrou saldo negativo de 97.828.

MAIS LIDAS DO DIA

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

Todos os direitos reservados