Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

Quando o menino, ainda muito jovenzinho, foi embora para desbravar o mundo, a mãe o abençoou:- Vai, mas volta, viu filho?
O menino atravessou  universos cheio de  pontes incivilizadas.  
Algumas pontes Inconclusas. Inacabadas.
Encontrou pelos caminhos gente parida de desafetos.
Mesmo assim o menino se permitia ver o sol, além  do ocaso.
Um dia, agora homem já feito, o menino retornou  à casa,com  o peito entranhado de saudades  da mãe. Trazia na mala o cheiro de um mundo que o amadureceu e  ensinou-lhe a caminhar, por entre pontes partidas ao meio. 
Ao avistar de longe a  senhora,no terreiro da moradia, correu desembestado e  enlaçou-a em um aperto eterno de saudades. 
A mãe- agora bem mais velha,diminuída pelo tempo- coloco o filho, feito criança pequena, no colo e sussurou em seus ouvidos:- Seja bem vindo, de volta, meu menino. Eu sempre estive aqui..
Mães são feitas de abraços.