Foto: Divulgação Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true 'Forrozeiro alagoano lança CD e comenta sobre mudanças na música nordestina

A maior festa popular do Nordeste, realizada tradicionalmente no mês de junho, pela primeira vez não ocorrerá por causa da disseminação do novo coronavírus no Brasil e no mundo.

E em tempo das várias lives na internet é que a música ganhou espaço de vez para levar mais alegria às pessoas neste momento difícil no qual todos estão passando.

Foi pensando neste propósito que o safoneiro Rogério Nicácio lançou o seu mais novo trabalho com um forró autêntico, músicas conhecidas do público e a qualidade dos componentes que fazem parte do grupo.

O resultado não poderia ser diferente, e a vontade é de dançar, cantar e, claro, curtir o que há de melhor do ritmo mais popular do Nordeste. Vale à pena conferir o mais novo trabalho do forró pé de serra alagoano de Rogério Nicácio em: Suamusica.com/rogerionicacio

Ao Cada Minuto, o artista contou que o forró tem passado por modificações e destaca que a principal motivação destas mudanças no estilo musical, foram proporcionadas, graças ao surgimento da tecnologia. 

“Não se tinha tantos recursos, as formações de antigamente eram mais reduzida, o autêntico forró pé de serra (sandona, triângulo e zabumba), muitas apresentações naquele tempo eram feitas em carrocerias de caminhões, em feiras livres... 
já hoje com a tecnologia e inúmeros recursos podemos trabalhar de forma mais a vontade, nos dias atuais é de suma importância toda essa evolução que possa contribuir com a nossa música, seja ela qual for o estilo musical”. 

Em meio a tantas modificações no cenário do forró, Rogério disse que as músicas de Luiz Gonzaga e seus seguidores como: Trio Nordestino, Os 3 do Nordeste, nosso saudoso Dominguinhos e dentre outros  jamais serão esquecidas. 

“Eu avalio isso com o sentimento de tristeza, não podemos deixar que a nossa cultura seja esquecida,que não seja lembrada apenas no mês de Junho, mais sim o ano todo.
O forró pé serra tem consigo uma particularidade inigualável, as suas letras, elas relatam a vida do nordestino, o seu sofrimento, a sua trajetória… São letras que falam de amor, quem tem sentimentos que nos alegram hoje e sempre”, defendeu o cantor. 

"Objetivo sempre é valorizar a verdadeira música nordestina"

Natural da cidade de Palmeira dos Índios, Rogério Nicácio é filho do renomado e também safoneiro Irineu Nicácio no qual foi essencial no processo de aprendizado do ofício de tocar acordeon. Amigos conhecidos como Xameguinho, Lula Sabiá, Tião Marcolino e Pinóquio do Acordeon também tiveram influência.

Aos 19 anos, Rogério Nicácio deu início à sua carreira musical como sanfoneiro fazendo apresentações em hotéis, bares e festas. Daí foi quando surgiu um convite para fazer parte da banda Sabor da Paixão por onde ficou durante 5 anos, tendo também outras experiências em seu currículo musical como: Mô Fio, Messias Lima, Nó Cego, Arriégua, Saia Bordada, Companheiros do Forró e Xodozados.

Depois, iniciou o seu próprio projeto se apresentando como Rogério Nicácio & Forrozão Xodó Beleza. Em 20 anos de estrada, este é o segundo CD do músico. "O objetivo sempre é valorizar a verdadeira música nordestina, levando consigo o original e autêntico forró pé de serra tendo como refências musicais artistas importantes de todo país", conta Nicácio. 

Dentre as influências estão Luiz Gonzaga, Dominguinhos, Alcymar Monteiro, Gilberto Gil, Jorge de Altinho, Santana "O Cantador", Flávio José, Petrúcio Amorim, Flávio Leandro, Targino Gondim, Edson Duarte, Maciel Melo, Adelmário Coelho, Assisão, Genaro, Jackson do Pandeiro, Alceu Valenca, Elba Ramalho, Eliezer Setton, Mestre Zinho, Carlos Moura, Kara Véia e os grupos Trio Nordestino, Os 3 do Nordeste, Rastapé e Fala Mansa.

*Sob supervisão da editoria e com informações de assessoria