Foto: Assessoria Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Deputado Léo Loureiro

O Cada Minuto entrevista desta semana conversou com o deputado estadual Léo Loureiro (Progressistas) e presidente da 15ª Comissão de Saúde e Seguridade Social, da Assembleia Legislativa de Alagoas, que destacou sobre as ações da comissão do legislativo em meio a pandemia do novo coronavírus e pontuou que “A população também precisa ajudar, pois sabemos que o isolamento social é a única forma de combater o vírus”. 

Em um discurso centrado e apaziguador, o legislador frisou que não vê culpados para o momento em que o estado e país enfrenta, pois nenhum gestor ou muito menos a sociedade esperava que iria enfrentar um momento delicado como este e pediu que haja união no combate ao vírus, pois a divergência política não tem contribuído de maneira efetiva nesta “guerra”. 


Confira a entrevista na íntegra: 


01 - Quais ações a comissão de Saúde e Seguridade Social tem desenvolvido em meio a pandemia do novo coronavírus?

A 15ª comissão tem acompanhado de perto todas as ações realizadas por parte do governo do estado e tem dado celeridade a todos os projetos de lei que visam trazer melhorias para a saúde dos alagoanos durante essa pandemia. Temos nos reunido semanalmente de forma mista (presencial e virtual).


02 - Qual a avaliação que o senhor faz da realidade das unidades de saúde de todo o estado, tanto pública quanto as privadas?

Sabemos que o coronavírus é novidade em todo mundo, e por isso, temos dificuldade até nos países de primeiro mundo. Com todas as nossas “limitações”, comparando aos grandes estados, nós estamos indo bem quando se trata de atendimento. Aumentamos os números leitos tanto nos hospitais estaduais como nas contratações de leitos da rede privada.  Estamos nos readaptando de acordo com a urgência que a situação pede. 


03 - Além da entrega de novos hospitais construídos pelo governo estadual, a comissão estuda ou avalia outras alternativas para que possa evitar um colapso no sistema de saúde?

Temos conversado muito sobre isso e infelizmente, como disse o governador Renan Filho, só saberemos quando será o pico, quando os números começarem a diminuir. O que ainda precisa melhorar é o número de testes. Sabemos que em lugar nenhum do mundo conseguiu testar todo mundo, mas aqui em Alagoas esse número precisa aumentar. A população também precisa ajudar, pois sabemos que o isolamento social é a única forma de combater o vírus, já que ainda não temos uma cura ou vacina para combatê-lo. 


04 - Parte da sociedade tem atribuído o caos econômico e das unidades de saúde ao chefe do executivo estadual, como o senhor avalia isso? é possível encontrar culpados para um sistema de saúde com dificuldades?

Como falei anteriormente, ninguém esperava essa pandemia. Quem imaginaria que estaríamos vivenciando um momento histórico em pleno 2020? Não vejo culpados, estou vendo o governador, o secretário Alexandre Ayres e tantos prefeitos na linha de frente para tentar evitar que o coronavírus se espalhe ainda mais em Alagoas. Não é que eu esteja tirando a importância da economia do estado, mas hoje, salvar vidas precisa ser a nossa prioridade. Precisamos combater esse vírus. 


05 - Como avalia essa polarização do debate sobre  ações para saúde ter se tornado o centro de discussão política? 

A polarização desse debate político de quem defende a esquerda e a direita só tem atrapalhado. Precisamos entender que o nosso inimigo é o vírus e precisamos nos unir para combatê-lo.


06 - O senhor defende a unidade de todos os poderes, sem elevar a questão partidária, para uma saída saudável dessa crise?

Temos que nos unir. Não é momento de brigar por ideologia política, precisamos atender quem precisa, evitar o colapso na saúde pública e privada e, principalmente, salvar o máximo de pessoas possível. 


*Sob supervisão da editoria