Foto: Cortesia ao Cada Minuto Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Aglomerações em supermercados são registradas em Maceió

Ao que parece, os órgãos que deveriam fiscalizar o cumprimento do decreto estadual na cidade de Maceió tem feito vista grossa e permitido que supermercados da capital não cumpram com efetividade as recomendações do decreto em vigor. 

De acordo com denúncias feitas ao CadaMinuto, redes de supermercados como Cesta de Alimentos, localizado no bairro do Jacintinho, Palato e Extra não estão levando a sério o que solicita o governo do estado e continuam permitindo com que mais de uma pessoa da família tenha acesso ao interior dos estabelecimentos, provocando aglomerações. 

Uma internauta que preferiu não se identificar destacou que não há um controle por parte dos estabelecimentos na porta, como havia nos primeiros dias após a publicação do decreto. “Antes em todos os supermercados tinham funcionários controlando a entrada, pondo álcool 70% nas mãos dos clientes e recomendando que apenas uma pessoa por família entrassem, hoje nem fiscalização na porta existe”, relatou. 

Imagens mostram que durante esta semana, filas e aglomerações foram registradas na parte interior do supermercado Cesta de Alimentos no bairro do Jacintinho. “Passei mais de uma hora dentro do supermercado e em nenhum momento os funcionários controlaram a entrada e sequer pediram que os clientes aguardasse um pouco até que o local ficasse mais vazio”, disparou um internauta. 

Vale lembrar que o Jacitinho aparece em 1º lugar no ranking de bairro como o bairro com maior número de casos confirmados de covid-19. Conforme os dados do boletim da Secretaria de Estado da Saúde, o Jacintinho aparece com 204 casos confirmados da doença.

O representante da Associação Comercial de Alagoas, Kennedy Davidson Pinaud, enfatizou que deve intensificar a fiscalização e que as grandes e pequenas redes que descumprem as normas devem ser rigorosamente penalizadas. 

“Os que descumprirem precisam ser notificados e até mesmo multados. As mercearias de bairro também precisam seguir esses padrões de segurança. Se tem fila, concentração e não tem controle corremos riscos de aumentar a pandemia. Estamos falando em saúde, em proteção e cuidados. Então não tem justificativa cobrar de uns e esquecer os outros”, disse Kennedy. 

Em contato com a reportagem, a rede de supermercados Palato informou que tem seguido os protocolos da Organização Mundial de Saúde (OMS) e que tem utilizado da comunicação interna para junto aos colaboradores e clientes, ratificar a importância do uso de máscaras por todos que circulam na loja e também sobre a entrada de, somente, um membro da família. 

“Orientamos nossos fiscais para que eles não permitam a entrada de mais de uma pessoa da mesma família no supermercado e disponibilizamos um colaborador para recepcionar os clientes com álcool em gel e higienização imediata de cada carrinho de compra. No entanto, precisamos contar com a colaboração e a conscientização de todos para que, dessa forma, possamos passar por esse momento delicado”, disse a rede comercial através de nota.

Através de nota, a Polícia Militar informou que tem realizado diversas fiscalizações em todo o estado, tanto nos estabelecimentos quanto nas ruas, para fazer cumprir as determinações estabelecidas no Decreto do Governo de Alagoas para conter o avanço da Covid-19. A PM reforçou ainda que a população pode ajudar nos flagrantes dos descumprimentos denunciando através do 190, para informar sobre estabelecimentos e empresas que estejam descumprindo o que foi estabelecido, bem como pelo 181, para denunciar pessoas físicas ou eventos programados. 

Entramos em contato com os supermercados Cesta de Alimentos e Extra, que foram citados na reportagem, entretanto nenhum deles se manifestaram sobre o assunto. 

*Sob supervisão da editoria