Foto: Carla Cleto Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true UPA

Em uma nota publicada nesta terça-feira (19), a direção médica que responde pelas UPAs do Trapiche e do Benedito Bentes informou que os atendimentos geral nas unidades podem ser suspensos sempre que a ocupação máxima de leitos seja atingida.

As duas unidades suspenderam o recebimento de novos pacientes com sintomas de Covid-19 durante o final de semana devido a superlotação. De acordo com o comunicado, “a medida foi tomada por questão de segurança dos pacientes e para manutenção da qualidade do atendimento”. O informe ressalta ainda que “o atendimento é retomado de imediato, assim que há disponibilidade de vagas”.

 A nota reforça também que “as unidades de pronto atendimento existem para atender casos de urgência e emergência. Casos que não se enquadrem nesse perfil, devem ser direcionados para as unidades básicas de saúde (UBS)”.

A direção médica das unidades confirma que a suspensão, apesar de estar sendo adotada com certa periodicidade, possui caráter dinâmico – o atendimento pode estar suspenso num momento e voltar à normalidade em questão de minutos em função da recuperação, transferência ou óbito de pacientes.

“Desde a última semana, estabelecemos normas internas sobre a necessidade de restrição dos atendimentos na unidade”, explica Vitor Ramalho, diretor médico da UPA Benedito Bentes e colaborador do Instituto ISAC, que gerencia as duas unidades. “Determinamos que quando os leitos intermediários ou clínicos estiverem lotados, iremos parar os atendimentos e redirecionar a equipe para dar seguimentos aos pacientes já internos na unidade”, acrescenta.

Adaptação

Após o início da pandemia, ambas as UPAs foram adaptadas e passaram a disponibilizar 05 leitos intermediários (área vermelha) e 08 leitos clínicos (área amarela) exclusivos para pacientes com Covid-19.

Ao todo, Maceió tem 04 UPAs (Tabuleiro, Jacintinho, Benedito Bentes e Trapiche), que foram preparadas para disponibilizar um total de 51 leitos – entre clínicos e intermediários – exclusivos para pacientes com Covid-19.

Os dados do boletim de taxa de ocupação de leitos – publicados diariamente pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) e disponibilizado para consulta no hotsite alagoascontraocoronavirus.com.br – confirmam que o colapso já é uma realidade em todas as UPAs, algumas com leitos clínicos e intermediários batendo a marca de 100% de ocupação.

“As UPAs são unidades de urgência e emergência, com foco em pacientes com quadros moderados a graves, recomendamos que pacientes com sintomas ou desconfortos leves procurem outras unidades de menor complexidade, como postos de saúde, centros de triagem para síndromes gripais e mini prontos-socorros”, orienta o médico. “Reforço também só procurar unidades de saúde em casos de extrema necessidade. As pessoas com condições de se manter em casa devem ficar em isolamento”.

Durante a abertura da nova central de triagem no Benedito Bentes, ocorrida na manhã desta segunda-feira, o governador Renan Filho anunciou a construção de mais três UPAs em Maceió, nos bairros do Eustáquio Gomes, Jaraguá e Chã de Jaqueira.

Colapso no interior

No interior, há Unidades de Pronto Atendimento nas cidades de Coruripe (14 leitos), Delmiro Gouveia (8 leitos), Maragogi (4 leitos), Marechal Deodoro (3 leitos), Palmeira dos Índios (4 leitos), São Miguel dos Campos (2 leitos) e Viçosa (3 leitos).

O boletim emitido na manhã desta segunda registra ocupação total de leitos nas UPAs de Viçosa e São Miguel dos Campos. Os casos de colapso mais recentes ocorreram nos municípios de Coruripe e Marechal Deodoro, onde as UPAs das cidades suspenderam o atendimento durante o fim de semana por terem atingido a superlotação.

De acordo com a Central de Regulação de Leitos da Sesau, a situação das UPAs foi normalizada, mas a taxa de ocupação continua no limite máximo.

*Com informações da Assessoria.