Cortesia ao CadaMinuto Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Local do acidente, na Via Expressa

Vizinhos, amigos e familiares do casal Elisângela e Denis, que morreu na noite de ontem (16), depois que um motorista embriagado colidiu frontalmente no veículo conduzido por Denis, na Via Expressa, estão organizando um protesto para ocorrer ainda neste domingo (17), nas imediações do Condomínio Ernesto Maranhão, no Conjunto Cidade Universitária, onde o casal residia.

Em conversa com a reportagem, uma vizinha disse que o protesto é em busca de justiça, para que o condutor que provocou o acidente seja enquadrado em homicídio com dolo eventual, em razão da embriaguez ao volante e do possível uso de drogas ilícitas.

Ela relatou ainda que o casal tinha um filho de dez anos e Elisângela estava grávida de quatro meses. O sepultamento aconteceu nesta tarde.

“Eles tinham saído apenas para fazer a retirada de um lanche e, na volta, esse homem bateu no carro deles, na contramão. Esse rapaz estava completamente embriagado, com drogas no carro... Ela morreu na hora e ele morreu pouco depois, no hospital... Queremos justiça. Vamos fazer o protesto para cobrar isso”, explicou a vizinha.

Conforme o Relatório de Ocorrências do Centro Integrado de Operações da Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP). Segundo o boletim, em patrulhamento no local, policiais do  5º BPM constataram a embriaguez ao volante e o condutor – um homem de 39 anos, cuja identidade não foi revelada -  foi autuado por homicídio culposo na direção de veículo automotor, sob a influência de álcool ou de qualquer substância psicoativa.